Pesquisar no blog

domingo, 30 de abril de 2017

LIVRO NEGRO - OS SERES MAIS MORTÍFEROS DO MUNDO


O maior responsável por mortes de seres humanos é um animal minúsculo. Em todo o mundo existem 3,5 mil espécies de mosquitos. Um panorama dos mais letais, a serem evitados de todo jeito. Inseto mais temido nos últimos tempos, na maioria hematófagos.






Ser maior nem sempre é melhor, nesses pequenos insetos estão uma das mais perigosas picadas do planeta.  O mosquito é o animal mais perigoso existente, carregando doenças que matam mais de um milhão de pessoas por ano, como malária, dengue e febre amarela e outras. Fato que torna estes insetos os seres mais mortíferos do mundo.


OS MOSQUITOS MAIS PERIGOSOS DO MUNDO


Anopheles, transmissor da malária

Existem mais de 460 espécies do gênero Anopheles, também conhecido como o "mosquito da malária". Cerca de 20% delas são capaz de propagar entre humanos o plasmódio, protozoário causador da doença. A fêmea dissemina a malária quando pica uma pessoa infectada para sugar seu sangue e passa o parasita letal às vítimas seguintes. Este gênero de mosquito é facilmente identificável pelas listras pretas e brancas nas asas. Ele está disseminado por praticamente todo o mundo, com exceção da Antártica. Embora hoje em dia a malária se restrinja às zonas tropicais, sobretudo a África Subsaariana, muitas espécies de Anopheles gostam de climas mais frios e se reproduzem neles. Focos de água parada, limpa e sem poluição são paraísos reprodutivos para o Anopheles.


Aedes, transmissor da dengue, chikungunya, zika e febre amarela



O Aedes é o mais invasivo dos três gêneros mais nocivos de mosquitos. Ele é transmissor frequente de infecções virais como a dengue, febre amarela, zika e  chikungunya. O Aedes Também é originário de regiões tropicais e subtropicais, mas pode ser encontrado atualmente em todos os continentes, exceto a Antártica. Ele se distingue por marcas brancas e pretas bem perceptíveis nas pernas e costas. Ao contrário dos demais, o gênero Aedes tem atividades diurnas. Antes presente exclusivamente em habitats aquáticos,ele se adaptou aos ambientes rurais, suburbanos e urbanos.



Culex, transmissor da febre do Nilo Ocidental e outras

Conhecido como mosquito caseiro comum, o Culex geralmente prefere sugar o sangue de pássaros ao humano, saindo para se alimentar ao amanhecer e entardecer. O gênero, que inclui mais de mil espécies, não é considerado tão perigoso para a saúde humana quanto o Anopheles e o Aedes. Apesar de não ser o principal transmissor de moléstias potencialmente fatais como a malária, febre amarela ou a dengue severa, o inseto de cor parda pode disseminar uma variedade de outras doenças bastante graves, como a febre do Nilo Ocidental, elefantíase e encefalite japonesa.



Referências
http://www.dw.com/pt-br/os-mosquitos-mais-perigosos-do-mundo/a-19025673
http://revistapesquisa.fapesp.br/2001/05/01/mosquitos-o-perigo-avanca/
http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2015/12/especialista-explica-o-perigo-do-mosquito-aedes-aegypti.html
http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2016/01/160128_mosquito_erradicacao_lab

Nenhum comentário: