Pesquisar no blog

sábado, 31 de março de 2012

MORCEGO


Eles voam com as mãos, enxergam com os ouvidos e dormem de cabeça para baixo. Com você, os morcegos: vampiros alados, raposas-voadoras, mamíferos como nós.

LIVRO NEGRO - OS BAD BOYS DA NATUREZA I




Esqueça os inúmeros filmes de monstros assassinos que você já assistiu, protagonizados por aranhas, tubarões e baleias. Eles são fichinhas. Os verdadeiros bad boys da natureza são:

PARA QUE SERVE A MINHOCA?



Qual é a utilidade das minhocas?
Elas aparecem lá embaixo na preferência dos peixes, atrás das salsichas, do coração de frango e das iscas artificiais.

AMAZÔNIA

A rainha de todas as florestas
Embora o planeta inteiro fique de olho na Amazônia, andar no meio dela é desafio para poucos. Além da beleza, da magnitude e do exotismo, a floresta impõe a força de seu aspecto selvagem.

PANTANAL

Metade do ano inundado, um paraíso gigantesco que fica no meio do Brasil. Banhado periodicamente pelo rio Paraguai e seus afluentes – Cuiabá, Aquidauana, Miranda e Negro –, o Pantanal é um dos lugares mais animadores para aventureiros que adoram ver animais selvagens. 

sexta-feira, 30 de março de 2012

ESCASSEZ DE ÁGUA 1

Rios que matam e morrem.
Há quem diga que as próximas guerras serão travadas pelo controle da água, cuja disponibilidade vem diminuindo por culpa do homem.....

OS PODERES DOS INSETOS - I


Eles usam armadilhas, camuflagens, armas químicas e biológicas para atacar e se defender. Graças a esse arsenal, matam mais humanos do que qualquer outro animal (exceto aquele chamado homem)..  Os X-man da natureza...

LIVRO NEGRO - OS SERES VIVOS

É como se quem deu o presente dissesse “agora você está pronto para conhecer o terror". 
Elas podem controlar o seu cérebro, devorar você por dentro e até obrigá-lo a trocar de sexo. Saiba quais são, como vivem e o que fazem as 11 criaturas mais cruéis, nojentas e aterrorizantes do planeta.... 

POR QUE A TRANSPOSIÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO É TÃO POLÊMICA?


O SERTÃO VAI VIRAR MAR

Porque, apesar de estar sendo discutida há mais de 150 anos (a primeira vez que alguém teve a ideia de transpor o terceiro maior rio do país foi em 1847, no governo de Dom Pedro II), não há consenso sobre se ela é a melhor maneira de acabar com a seca no Nordeste.



EFEITO ESTUFA: DO JEITO QUE ESTÁ, NÃO DÁ PARA FICAR



É impossível reduzir as emissões de gases do efeito estufa sem pôr um freio no crescimento da economia, afirma o inglês Tim Jackson....

Orgânicos + Transgênicos = Orgênicos

O alimento do futuro será geneticamente modificado e sem agrotóxicos ao mesmo tempo. E isso vai ser bom para o bolso e para o ambiente......

quarta-feira, 28 de março de 2012

MANGUEZAL


Manguezal, também chamado de mangue ou mangal, é um ecossistema costeiro, de transição entre os ambientes terrestre e marinho, uma zona úmida característica de regiões tropicais e subtropicais.Associado às margens de baías, enseadas, barras, desembocaduras de rios, lagunas e reentrâncias costeiras, onde haja encontro de águas de rios com a do mar, ou diretamente expostos à linha da costa, está sujeito ao regime das marés, sendo dominado por espécies vegetais típicas, às quais se associam outros componentes vegetais e animais.Ao contrário do que acontece nas praias arenosas e nas dunas, a cobertura vegetal do manguezal instala-se em substratos de vasa de formação recente, de pequena declividade, sob a ação diária das marés de água salgada ou, pelo menos, salobra.Devem-se distinguir os termos "manguezal" (ecossistema) de "mangue", termo comum dado às espécies arbóreas características desses habitats.

Exploração humana
No entanto, apesar da relevância desses ecossistemas e da sua importância para a vida marinha, sendo protegidos pela legislação ambiental, as áreas de manguezais ainda são intensamente exploradas pelo homem, que extraem peixes, ostras, caranguejos, camarões e mariscos em grandes quantidades e sem um manejo adequado, causando danos irreversíveis a estes sistemas. Além disso as árvores nativas dessas regiões são derrubadas para extrair o ranino de sua casca e fabricar carvão, havendo também grande especulação imobiliária nas áreas de mangue, que são aterradas para a construção de indústrias, marinas e casas, e suas águas poluídas com os esgotos industriais e domésticos.
Flora e Fauna
A flora e a fauna dos manguezais é bastante típica. A vegetação adaptada as condições é formada por arvores como o mangue vermelho que se encontram nos mangues em todo o mundo além de algumas outras raras espécies de arvores. Existe uma grande riqueza de matéria orgânica que comporta uma complexa cadeia alimentar. Muitos animais se reproduzem, se alimentam e/ou crescem nos mangues como os camarões, algumas espécies de peixes como tainhas e robalos. Muitas aves também procuram os mangues para procriar, outras para se alimentar ou descansar nos seus voos migratórios. Pela sua riqueza, diversidade e condições naturais os manguezais são considerados como um dos ecossistemas mais produtivos do Brasil.
Impactos ambientais em áreas de manguezal
Os principais fatores que causam alterações nas propriedades físicas, químicas e biológicas do manguezal são:
* Aterro e Desmatamento
 * Queimadas
 * Deposição de lixo
 * Lançamento de esgoto
 * Lançamentos de efluentes industriais
 * Dragagens
 * Construções de marinas
 * Pesca predatória
Proteção legal dos manguezais
O manguezal, ecossistema bem representado ao longo do litoral brasileiro, é considerado, no Brasil, como de preservação permanente, incluído em diversos dispositivos constitucionais (Constituição Federal e Constituições Estaduais) e infraconstitucionais ( leis, decretos, resoluções, convenções). A observação desses instrumentos legais impõe uma série de ordenações do uso e/ou de ações em áreas de manguezal (Schaeffer-Novelli,1994).
* Constituição Federal de 1988, artigo 225.
 * Lei Federal nº 9.605/98, que dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente.
 * Código Florestal – Lei nº 4.771/1965.
 * Lei Federal Nº 7.661/98, que institui o Plano Nacional de Gerenciamento Costeiro.
 * Lei Estadual nº 9.931/1986 – Proteção das Áreas Estuarinas.
 * Resolução CONAMA  nº 04/1985.
 * Decreto Federal nº 750/93, que dispõe sobre o corte, a exploração, a supressão de vegetação primária ou nos estágios avançado e médio de regeneração da Mata Atlântica.


PARA SABER MAIS CLIQUE AQUI  AQUI e AQUI

quinta-feira, 22 de março de 2012

DIA MUNDIAL DA ÁGUA


História do Dia Mundial da Água

Desde os primórdios da humanidade sabemos que o homem sempre se estabeleceu em locais próximos aos rios e mares, para garantir seu sustento através da pesca e da agricultura.
A história do Egito faz uma excelente demonstração desse fato, quando os homens, às margens do rio Nilo, fizeram os primeiros aglomerados humanos e construíram as primeiras cidades do mundo. Ali já se registrava o quanto o homem era dependente da água.
Porém, com o passar dos anos, com a evolução da humanidade, a água passou a ser tratada com desrespeito, sendo poluída e desperdiçada.
Por esses motivos, a ONU (Organização das Nações Unidas) criou o Dia Mundial da Água, em 22 de março de 1992, para promover discussões acerca da consciência do homem em relação a tal bem natural.
Mas porque a ONU se preocupou com a água se sabemos que dois terços do planeta Terra é formado por este precioso líquido? A razão é que pouca quantidade, cerca de 0,008 %, do total da água do nosso planeta é potável (própria para o consumo). E como sabemos, grande parte das fontes desta água (rios, lagos e represas) esta sendo contaminada, poluída e degradada pela ação predatória do homem. Esta situação é preocupante, pois poderá faltar, num futuro próximo, água para o consumo de grande parte da população mundial. Pensando nisso, foi instituído o Dia Mundial da Água, cujo objetivo principal é criar um momento de reflexão, análise, conscientização e elaboração de medidas práticas para resolver tal problema. No dia 22 de março de 1992, a ONU também divulgou um importante documento: a "Declaração Universal dos Direitos da Água" (leia abaixo). Este texto apresenta uma série de medidas, sugestões e informações que servem para despertar a consciência ecológica da população e dos governantes para a questão da água. Mas como devemos comemorar esta importante data? Não só neste dia, mas também nos outros 364 dias do ano, precisamos tomar atitudes em nosso dia-a-dia que colaborem para a preservação e economia deste bem natural. Sugestões não faltam: não jogar lixo nos rios e lagos; economizar água nas atividades cotidianas (banho, escovação de dentes, lavagem de louças etc); reutilizar a água em diversas situações; respeitar as regiões de mananciais e divulgar idéias ecológicas para amigos, parentes e outras pessoas.

Declaração Universal dos Direitos da Água
Art. 1º - A água faz parte do patrimônio do planeta.Cada continente, cada povo, cada nação, cada região, cada cidade, cada cidadão é plenamente responsável aos olhos de todos. 
Art. 2º - A água é a seiva do nosso planeta.Ela é a condição essencial de vida de todo ser vegetal, animal ou humano. Sem ela não poderíamos conceber como são a atmosfera, o clima, a vegetação, a cultura ou a agricultura. O direito à água é um dos direitos fundamentais do ser humano: o direito à vida, tal qual é estipulado do Art. 3 º da Declaração dos Direitos do Homem. 
Art. 3º - Os recursos naturais de transformação da água em água potável são lentos, frágeis e muito limitados. Assim sendo, a água deve ser manipulada com racionalidade, precaução e parcimônia. 
Art. 4º - O equilíbrio e o futuro do nosso planeta dependem da preservação da água e de seus ciclos. Estes devem permanecer intactos e funcionando normalmente para garantir a continuidade da vida sobre a Terra. Este equilíbrio depende, em particular, da preservação dos mares e oceanos, por onde os ciclos começam. 
Art. 5º - A água não é somente uma herança dos nossos predecessores; ela é, sobretudo, um empréstimo aos nossos sucessores. Sua proteção constitui uma necessidade vital, assim como uma obrigação moral do homem para com as gerações presentes e futuras. 
Art. 6º - A água não é uma doação gratuita da natureza; ela tem um valor econômico: precisa-se saber que ela é, algumas vezes, rara e dispendiosa e que pode muito bem escassear em qualquer região do mundo.
Art. 7º - A água não deve ser desperdiçada, nem poluída, nem envenenada. De maneira geral, sua utilização deve ser feita com consciência e discernimento para que não se chegue a uma situação de esgotamento ou de deterioração da qualidade das reservas atualmente disponíveis. 
Art. 8º - A utilização da água implica no respeito à lei. Sua proteção constitui uma obrigação jurídica para todo homem ou grupo social que a utiliza. Esta questão não deve ser ignorada nem pelo homem nem pelo Estado. 
Art. 9º - A gestão da água impõe um equilíbrio entre os imperativos de sua proteção e as necessidades de ordem econômica, sanitária e social. 
Art. 10º - O planejamento da gestão da água deve levar em conta a solidariedade e o consenso em razão de sua distribuição desigual sobre a Terra. 


No Dia Mundial da Água, evite o desperdício e aprenda a ser sustentável


 

segunda-feira, 19 de março de 2012

O VALOR DA BIODIVERSIDADE



Quanto vale uma borboleta? Colar etiquetas de preço em espécies individuais parece absurdo, mas é precisamente isso que alguns economistas tentam fazer. Uma nova perspectiva para impedir a destruição.