Pesquisar no blog

quinta-feira, 20 de abril de 2017

LIVRO NEGRO - OS GINANDROMORFOS: DOIS CORPOS OCUPAM O MESMO ESPAÇO.



Sabemos por teoria ou  prática que dois corpos distintos não podem ocupar o mesmo lugar no espaço ao mesmo tempo; este é o princípio da impenetrabilidade da matéria, um dos mais famosos princípios da física. Mas no caso do ginandromorfismo dois sexos podem ocupar o mesmo indivíduo ao mesmo tempo. Neste caso não tem muito haver com a física e sim com a genética.




No mundo de Harry Potter, Hagrid é frustrado por não conseguir nunca capturar e criar uma quimera (figura mítica caracterizada por uma aparência híbrida de dois ou mais animais e com capacidade de lançar fogo pelas narinas, é uma fera ou besta característica da mitologia grega). 
No mundo real, sim elas existem, são conhecidas como ginandromorfos os animais que, por conta de uma condição genética rara, conseguem ser machos e fêmeas ao mesmo tempo. Indivíduos que apresentam ginandromorfismo (denominados ginandromorfos, do grego gynos, feminino e andros, masculino) são indivíduos quiméricos constituídos por tecidos geneticamente femininos e masculinos, os quais expressam fenótipos sexuais condizentes com seu sexo genético, levando ao desenvolvimento de um individuo com partes femininas e masculinas. O ginandromorfismo ocorre na natureza em diversas espécies de invertebrados e vertebrados, principalmente insetos, crustáceos e aves . 
Os ginandromorfos encontrados na natureza podem se apresentar em pelo menos três formas:
  1. Bilaterais: as regiões feminina e masculina são divididas pela linha do plano médio.
  2. Polares: têm a região anterior de um sexo e a posterior do outro.
  3. Oblíquos: apresentam a região anterior e um lado corpo de um sexo, e a região posterior e o outro lado do outro sexo.
A divisão entre os tecidos masculino e feminino vai depender do estágio do desenvolvimento no qual o ginandromorfismo foi estabelecido.
Em tese, a condição é mais comumente observada em aves, insetos e crustáceos, cujos dois sexos podem ter uma coloração muito diferente. Pode ocorrer quando os cromossomos sexuais não conseguem se separar durante a divisão celular no desenvolvimento, um processo conhecido como disjunção. Como resultado, algumas células do animal tem um genótipo feminino, e outras têm um genótipo masculino, dando origem a um animal com ambas as características de sexo. Todos animais ginandromorfos são estéreis.
Esta condição é distinta do hermafroditismo; em que um organismo tem tanto órgãos reprodutores masculinos quanto femininos, mas tem características externas de um gênero somente.
Os ginandromorfos são realmente surpreendentes porque não se observou nada parecido nos mamíferos. Em quase todos os mamíferos, incluídos os seres humanos, inicialmente as células embrionárias são sexualmente indistinguíveis. Durante o desenvolvimento, os fatores genéticos desencadeiam a formação das glândulas masculinas ou femininas segundo a combinação dos cromossomos sexuais do animal (XY para os machos e XX para as fêmeas).

Espécie de borboleta Archduke Comum (Lexias pardais) com uma condição rara chamada ginandromorfia, o que significa tanto características masculinas quanto femininas. As duas asas da direita do inseto eram típicas de fêmeas de sua espécie – elas eram maiores, e marrom com manchas amarelas e brancas. Mas suas duas asas esquerdas eram menores e mais escuras, com salpicos de verde, azul e roxo, uma característica padrão de machos.

Seu lado esquerdo masculino tem um plumagem mais clara, esporões e com fortes músculos peitorais. No entanto o lado direito tem plumas mais escuras e é menos corpulento.

Lagosta ginandromorfa, com uma metade fêmea e outro lado macho. Parece que um lado foi cozido e outro não.

Bicho pau com uma metade feminina e outra masculina. Um lado verde brilhante e outro lado camuflado.

Caranguejo ginandromorfo com as garras de cor diferente.

Pássaro da espécie cardeal, ginandromorfo. Lado esquerdo macho e lado direto fêmea. Geralmente as aves afetadas por esta disjunção tende a se isolar e não possuem parceiros. 
Referências
http://exame.abril.com.br/ciencia/borboleta-com-dois-sexos-e-descoberta-nos-estados-unidos/
http://misteriosdomundo.org/rara-borboleta-e-metade-macho-e-metade-femea/ 
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ginandromorfismo
http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/09/150924_vert_earth_ginandromorfos_ml
http://www.mdig.com.br/?itemid=12154 
http://lavozdelmuro.net/mitad-gallo-y-mitad-gallina-conoce-a-los-animales-ginandromorfos-una-singularidad-de-la-naturaleza

Nenhum comentário: