Pesquisar no blog

segunda-feira, 10 de abril de 2017

O QUE É TALUDE



 
Um talude é uma superfície inclinada do solo que limita um platô. Os taludes também são chamados de encostas, rampas, morros ou barrancos, podem ser naturais ou construídos artificialmente pelo homem. Na época de chuvas é comum ocorrer os deslizamentos ou escorregamentos de taludes e encostas, em zonas urbanizadas estas ocorrências são mais graves, pois envolvem vidas humanas.





Imenso número de pessoas trafegam pelas estradas do Brasil. Nas estradas de Minas Gerais, um grande número diário de motoristas é submetido a situações, imprevistos e paisagens. A BR 381, está em processo de duplicação, mesmo sendo a passos lentos, trôpegos. A meu ver uma tartaruga caminha mais rápido que o processo de duplicação desta BR.  São tantos acidentes, principalmente ente a Capital Belo Horizonte até João Monlevade. Trecho este apelidado de rodovia da morte. Em dias chuvosos, após uma curva depara-se com o trânsito parado devido ao grande volume de terra sobre o asfalto. Após todo o desenrolar da cena, a pessoa diz: “Nossa, o barranco desceu! ”.   Vamos entender melhor esta expressão popular.



TALUDES
Podemos definir talude como uma superfície de solo exposta que forma um ângulo com a superfície horizontal.  Para ser mais didático, talude é  qualquer terreno inclinado.
Podem ser classificados como artificial ou natural.  

Os taludes naturais são comumente conhecidos como encostas e sua denominação feita através de estudos geotécnicos. Formados há muitos milhões de anos e encontrados principalmente nas encostas de montanhas. foi formado naturalmente pela natureza, pela ação geológica ou pela ação das intempéries (chuva, sol, vento, etc.).

Já os taludes artificiais são aqueles que foram construído pelo homem. Encontramos taludes artificiais nas minas a céu aberto, nas barragens de reservatório de água, nas laterais de estradas e ruas, na escavação de um vala para assentamento de tubo de água e até nos fundos das casas construídas em local em aclive (terreno subindo) ou declive (terreno descendo). As ações humanas alteram as paisagens de acordo com suas necessidades, atuando sobre os fatores ambientais, modificando a vegetação, alterando topografias, podendo inclusive alterar o clima da região.

PARTES DE UM TALUDE 
  • Crista é a parte mais alta do talude.
  • é a parte mais baixa do talude. 
  • Altura do talude (H) é a diferença de cota entre a crista e o pé. 
  • Ângulo ou inclinação do talude é o ângulo, em graus, entre a horizontal e a reta média entre a crista e o pé e é representado pela letra grega teta (q). 
  • Corpo ou maciço do talude é a parte interna do talude e é a parte em que geológos e engenheiros estudam a sua constituição, isto é, que tipo de material (argila, silte, areia, rocha, etc.) e suas propriedades como coesão, limite de plasticidade, etc.
  • Rede de Percolação é a rede, ou desenho da rede, a trajetória que a água faz dentro do maciço do talude. Uma parte da rede é constituída de água que infiltra no terreno em áreas próximas do talude e outra parte da rede é constituída de água que infiltra em locais distantes, até vários quilometros de distância, e chegam até o talude. 
  • Mina ou bica é o afloramento de água do talude. Águas que infiltram no terreno e que percolam pelo maciço do talude afloram à superfície, geralmente, no pé do talude. A diferença entre mina e bica é que a mina é qualquer afloramento de água que sai do terreno enquanto que a bica é uma mina melhorada, alguém instalou uma calha, uma pedaço de bambu, um cano, uma bica para facilitar a tomada d'água. 
 FORÇAS QUE ATUAM NO TALUDE 

  • S é a força da água que corre superficialmente e produz a erosão do terreno e, em alguns casos, a voçoroca.
  • E é a força denominada EMPUXO e ela empurra o terreno para fora do talude, causando o desastre.
  • P é o peso da sobrecarga colocada sobre o talude também vai afetar o muro.
  • H é a pressão da água represada no seio do talude na forma de lençol freático.



TALUDE DE CORTE E ATERRO
  • Talude de corte é aquele que se forma como resultado de um processo de corte, de retirada de material. 
  • Talude de aterro é aquele que se forma como resultado da deposição, da terraplenagem e de botas-fora.
Veja as diversas etapas e formas de aproveitamento de um talude:
 
 




TALUDE DE BARRAGEM

Interessante é o caso da barragem que é usada para barrar um rio com a finalidade de formar um reservatório. A barragem tem dois taludes, 
  • Um chamado de de Talude de Montante que é o que fica do lado de cima;
  • Outro chamado de Talude de Jusante que é o que fica no lado de baixo.

COMO OCORREM OS DESASTRES

As encostas são formadas por um manto de material decomposto ou manto de intemperismo sobre uma superfície rochosa. Em algumas situações entre o manto de intemperismo e o substrato rochoso há um limite gradativo. Os fatores naturais podem atuar isolados ou em conjunto durante o processo de formação de um talude natural respondendo pela estrutura característica destes maciços. Podemos classificar esses fatores em dois grupos: Geológicos e ambientais.
  • Geológicos: Litologia, estruturação e geomorfologia: São responsáveis pela constituição química, organização e modelagem do relevo terrestre; à ação deles, soma-se a dos fatores ambientais. Assim, a litologia, com os constituintes dos diversos tipos de rocha, a estruturação dos maciços – através dos processos tectônicos, de dobras, de falhamento, etc., e a geomorfologia – tratando da tendência evolutiva dos relevos.
  • Ambientais: Clima, topografia e vegetação: Não devem ser considerados isoladamente dos fatores geológicos, e tem como principal agente a erosão, influenciada pelo clima, topografia e vegetação.
De forma genérica podemos afirmar que NÃO EXISTE TALUDE ESTÁVEL. Todo e qualquer talude um dia sofrerá uma queda. A natureza procura sempre uma situação de equilíbrio e o equilíbrio mais estável é um plano horizontal. Taludes constituídos por materiais de baixa coesão terão queda em curto prazo enquanto que taludes constituídos por materiais de alta coesão terão queda a longo prazo e taludes constituídos por rochas terão queda a prazos ainda maiores.
A queda de um talude pode ocorrer por desbarrancamento ou por escorregamento:

QUEDA POR DESBARRANCAMENTO: 
  •  A queda do barranco por desbarracamento é causado pela perda da coesão do material.
  • Os materiais possuem uma propriedade chamada COESÃO que é uma força interna que mantém as partículas do material "coesas", isto é, grudadas uma nas outras. É a coesão que permite que a gente trabalhe com a argila para fazer vasos e utensílios. 
  • Enquanto a argila tem uma coesão alta, o silte tem uma coesão menor e a areia quase não tem coesão. Imaginemos um talude formado por uma argila de boa qualidade, isto é, uma argila com alta coesão. As intempéries, isto é, a sucessão de períodos de chuva seguida de períodos de estiagem (sem chuva) faz com que a argila vá perdendo, gradualmente a sua coesão. Com a perda da coesão, começam a se formar no solo trincas e rachaduras que vão aumentando com o tempo.
  • Chega um dia que a coesão se torna tão baixa que o talude já não consegue ficar de pé e então desbarranca. No desbarrancamento, as casas e árvores tombam para fora e vão rolando por cima das casas de baixo que ficam soterradas. 
  • O desbarrancamento ocorre, geralmente, no dia de chuva pois a água da chuva penetra nas rachaduras acelerando o processo. Mas não há necessidade de estar chovendo para ocorrer um desbarrancamento. O solo já fragilizado pelas trincas pode romper por alguma trepidação no solo como a passagem de veículos pesados. 
 
  • Você pode perceber que há risco de desbarrancamento observando o piso na parte de cima do talude pois surgem trincas no sentido logitudinal (paralelo) do talude. 
  • Você pode diminuir o risco de desbarrancamento colocando lonas plásticas por sobre as trincas. 

QUEDA POR DESLIZAMENTO OU ESCORREGAMENTO
  • A queda do talude por escorregamento é causado pela formação de lama no interior do talude.
  • A água da chuva que infiltra (entra) no terreno ou o vazamento de uma tubulação de água de abastecimento, de esgoto sanitário ou de água pluvial vai formar uma rede de percolação. Nos locais em que ocorrem a infiltração a rede corre para baixo. Entretanto, na medida em que a água vai encontrando camadas menos permeáveis do solo, a direção do fluxo vai mudando na direção de fora do talude.

  • Como a pressão de percolação é alta, a água vai carriando (carregando) as partículas finas da argila. Você sabe que este fenômeno está ocorrendo observando a água que sai no pé do talude. Se a água sai limpa é por que não está havendo carriamento. Se a água sai com cor de barro é por que está havendo carriamento de partículas de argila.
  • No lugar em que estava a partícula, sobra então um vazio. Com a formação de vazios, as demais particulas se movimentam (fenômeno conhecido como adensamento, pois a argila vai ficar com menos vazios, isto é, mais densa) e esse movimento produz lama.
  • A lama forma uma superfície arredondada que serve de escorregador para a parte de cima do talude. Então ocorre o "escorregamento".
  •  No escorregamento, as casas e árvores tombam para dentro do talude. A terra que escorregou vai parar na parte de baixo do talude que se levanta. Casas que estavam no pé do talude são levantadas
  •  Nem sempre a água responsável pela formação da lama é a água que está infiltrando nas proximidades do local do risco. Muitas vezes essa água pode estar infiltrando em locais bastante distante às vezes a quilômetros do local.
  • Então, locais em que está ocorrendo ou acabou de ocorrer um escorregamento pode sofrer um outro escorregamento mais para dentro.
  • Nestes casos, a área a ser evacuada deve ser bastante ampla.
  • O escorregamento pode ocorrer depois que a chuva parou. É que a água que vai formar a lama leva um tempo para infiltrar e chegar até o ponto em que vai formar a lama.
  • Você pode diminuir o risco do escorregamento colocando pesos (sacos de areia) no pé do talude.


CONSEQUÊNCIA DAS CHUVAS NAS ENCOSTAS

PARA SABER MAIS CLIQUE AQUI E AQUI





Referências
http://www.ebanataw.com.br/talude/oquee.htm
http://www.ebah.com.br/content/ABAAABpxsAH/taludes-mecanica-dos-solos

Nenhum comentário: