Pesquisar no blog

sexta-feira, 8 de junho de 2012

LOUVA - A -DEUS

Embora seu nome possa indicar uma vida beata, o comportamento dos louva-a-deus na natureza não tem nada de cristão. Fazendo valer a lei do mais forte, “passou, é menor que eu, estou caçando”.  Os louva-a-deus machos estão fadados a "perder a cabeça" por uma linda namorada .


Este é um inseto de distribuição muito comum; pode ser encontrado nos jardins da maioria das casas, principalmente na periferia das cidades, nos campos e matas. O seu nome vem da posição regular de repouso - a parte anterior do corpo levantada e os membros anteriores unidos, como que rezando (para Deus). Seu corpo, de formas muito esquisitas, é a adaptado para permanecer camuflado confundindo-se com  vegetação (mimetismo) onde normalmente vive (o corpo fino, esverdeado, alongado e imóvel confunde-se com ramos de qualquer planta e as asas com as folhas). Normalmente, alimenta-se de pequenos insetos (moscas, abelhas, gafanhotos, cigarras, etc.) que captura com suas patas dianteiras longas, elas funcionam como uma eficiente pinça cheia de espinhos,  executa apreensões extremamente rápidas,  trazem a caça diretamente para a sua forte mandíbula.
Este inseto original tem cinco olhos! Dois deles (olhos compostos) situados em pontos convencionais são capazes de acompanhar os movimentos de todo o que se mexe em seu redor. Os outros três, localizados na região da testa, existem para detectar variações de luminosidade e são importantes, pois seus hábitos de vida são estreitamente ligados com a percepção da incidência de luz local a cada momento. 
Quando dois machos encontram-se, e caso um deles não se retire rapidamente em fuga, acontece uma luta fatal para um deles. Esta pugna começa com os contendores na posição de guarda dos boxeadores. O vencedor mata e se alimenta do vencido e, de barriga cheia, dorme um bom sono em posição de reza. Um fato incrível - no acasalamento, o macho serve de alimento para "sua amada". A fêmea agarra seu companheiro  pelo pescoço, arranca e come sua cabeça.Curiosamente, o "resto" do corpo do macho continua atuando para terminar a fecundação da fêmea - uma incrível realidade ! Terminadas as "núpcias", a fêmea esconde-se entre as folhas. Vamos tentar entender as implicações deste fato na biologia deste bichinho - em verdade, esta atitude da fêmea promove uma "adaptação" da espécie ao ambiente. Uma vez alimentada pelo corpo de seu parceiro ela permanece escondida (está nutrida até quase o momento da postura dos ovos) na vegetação evitando ser facilmente encontrada e devorada por pássaros, seus inimigos naturais. 
Tudo indica que ao devorar a cabeça do macho, a atuação dos centros nervosos secundários abdominais restantes no parceiro fazem a fecundação ocorrer de forma muito mais efetiva (maior quantidade de sêmen é transferida para o corpo da fêmea). No momento da postura, a fêmea deposita os ovos em uma ovoteca (recipiente que contém e protege os ovos) feita com várias camadas de espuma protetora expelida pela cuidadosa mamãe para manter os ovos fixados no galho de uma planta. Cada um dos filhotes tem sua primeira fase de desenvolvimento no interior de um abrigo vermiforme. Saem de lá já com a forma de diminutos louva-a-deus. Neste momento, muitos deles são devorados por seus predadores naturais: as formigas. Em relação ao ecossistema do qual participa, este inseto compõe uma rede alimentar formada de centenas de alternativas de condução da energia que nele flui e assim a sua sobrevivência é importantíssima para todo um sistema de VIDA.
Os índios (tupis) chamam este curioso bicho de "emboici" - "mãe de cobra". A razão é a seguinte - no interior do abdome dos louva-a-deus, frequentemente, está presente um verme fino e comprido (um seu parasita natural). Os índios acreditam que este verme é um filhote que, depois de nascer e crescer  transforma-se em cobra comum. Coisas que podemos aprender entendendo melhor a vida deste inseto:
  • Forma original e eficaz de caçar os insetos (sobre os sensores, os dispositivos de apreensão e a forma de utilização dos apêndices).
  • Forma de se camuflar para poder sobreviver ao ataque de inimigos.
  • Inusitado canibalismo que ajuda a preservar as fêmeas fecundadas do ataque de predadores.

Natureza é complexa e que as soluções que ela encontra para sustentar a vida são incríveis e apropriadamente eficientes adotando o enfoque do "viva e deixe viver - que é muito melhor para tudo e todos".

Existem mais de 1.500 espécies de Louva-Deus, divididas entre oito famílias.
- Mantoididae - Possui o promoto quadrado. É uma espécie pequena, encontrada facilmente no sul da Florida.
- Liturgusinae - Possui uma "fenda" entre o primeiro e o segundo espinho do femur anterior (braço).
- Photinae - Possui de 5 a 7 espinhos no fêmur anterior e antena achatada.
- Oligonychinae - Possui 2 espinhos no fêmur anterior. Espécie longa e delgada.
- Amelinae - Pequeno (menos de 35mm). Olhos pontiagudos. A margem da asa apresenta cerdas finas.
- Mantinae - Olhos globosos.


O louva-a-deus orquídea (Hymenopus coronatus) 

O fascinante louva-a-deus orquídea que imita flores para atrair as presas. Assemelha-se notavelmente um orquídea para atrair suas presas. Sua imitação é tão convincente que os insetos são mais atraídos por ele do que pela própria flor. Essas características criam uma 'isca tentadora' para atrair insetos, que acabam sendo capturados e devorados. O louva-a-deus orquídea tem patas traseiras em forma de pétalas e suas cores fazem com que seja facilmente confundido com pelo menos 13 espécies de flores existentes na área onde vive. É uma espécie rara, mesmo em seu habitat natural, no Sudeste Asiático.

Louva-a-deus espinhoso (Pseudocreobota wahlbergii)

O louva-a-deus-flor-espinhoso é uma bela e colorida espécie de louva-a-deus da família Hymenopodidae. O impressionante e colorido louva-a-deus-espinhoso é definitivamente um deleite para os olhos, uma vez que apresenta uma variedade de cores em seu corpo e asas. A parte inferior do abdômen deste inseto tem estruturas espinhosas, o que lhe dá o seu nome comum. Geralmente é um inseto calmo e tranquilo. No entanto, se ameaçado, ele tenta assustar o predador posicionando as suas asas para cima para mostrar os dois olhos (ocelos) sobre elas. é encontrado no leste e sul da África.

Diabo Gigante da Flor ( Idolomantis diabolica ) 


O Diabo Gigante da Flor é por vezes referido como o "rei de todos os louva-a-deus", devido tanto ao seu tamanho quanto à sua atratividade. Eles são gigantes, e as fêmeas são maiores que os machos, podendo chegar a 13 centímetros! São nativos da Etiópia, Quênia, Malawi, Somália, Tanzânia e Uganda. Este louva-a-deus está entre os maiores de todos - além de ser um dos mais estranhos já vistos. Este predador com suas belas e variadas cores é um mestre de camuflagem, e sua aparência o ajuda a capturar insetos que ele está sempre à espera.

Diabo da Flor ( Blepharopsis mendica )
Esta espécie vive em áreas terrestres como vegetação herbácea e arbustos espinhosos. Sua cor os torna adequados para mimetizar folhas, arbustos espinhosos ou secos e vegetação em desertos devido à sua coloração.encontrada no norte da África , em partes do Mediterrâneo , no Oriente Médio e no sul da Ásia , e nas Ilhas Canárias . mantis flor do diabo , mantis egípcio flor , mantis cardo , e mantis árabes estão entre seus nomes comuns.







Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...