Pesquisar no blog

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

COBRA DE VIDRO. PARECE MAIS NÃO É


Nem cobra, nem de vidro. O bicho bizarro é um lagarto ápodo . Vive sob o folhiço nas matas e, por isso, perdeu as patas ficando com a aparência de uma serpente. Ele possui pálpebras e língua não bifurcada. Já o vidro deve-se a outra peculiaridade, a autotomia caudal, hábito de perder a cauda quando perturbada.

Muita gente já viu um animalzinho pequeno, sem patas e brilhante próximo a áreas de grama, a chamada cobra-de-vidro. E normalmente pela sua aparência e pelo nome popular, pensa que se trata de uma cobra. A verdade é que esse animal é um lagarto e não uma cobra, como muita gente acha.O cobra-de-vidro (Anguis fragilis) é um réptil da ordem dos sáurios (é, portanto, um lagarto), de membros ausentes (ápode). Pertence à família dos anguídeos. Apesar do nome vulgar "cobra-de-vidro", estes animais são, de fato, lagartos. Dependendo da região do país pode ser popularmente chamada de “licranço”, “licanço” ou “fura-mato”.


Características que os diferem das cobras/serpentes:
  • Cobras-de-vidro possuem pálpebras móveis, característica ausente em cobras;
  • As escamas ventrais são numerosas e diminutas, diferentes das escamas retangulares das serpentes;
  • Tal como outros lagartos, podem fazer autotomia, afim de fugir de predadores;
  • Sua língua é dividida em vez de bifurcada, como nas serpentes;
  • A troca de pele acontece em farrapos, ao invés da pele inteira, como acontece nas cobras;
  • A morfologia craniana, com duas fenestrações (aberturas) temporais visíveis de cada lado, em vez de apenas uma, encontrado nas serpentes;
  • A taxonomia de Ophiodes é complicada, e O. striatus pode ser um complexo de espécies.

A pele tem um toque suave e é composta por escamas não sobrepostas. Tal como outros lagartos, pode perder a cauda, de forma a fugir a predadores. A cauda volta, depois, a crescer, mas raramente atinge o tamanho inicial. As fêmeas têm frequentemente uma risca no dorso, enquanto que o macho pode ter manchas azuladas. São animais diurnos, gostando de se aquecer ao sol..


As fêmeas dão à luz crias plenamente desenvolvida. São, portanto, animais ovovivíparos. Podem ser encontradas, nos dias antes do parto, em locais soalheiros e quentes, tomando banhos de sol. São comuns em jardins e especialmente benéficos, já que ajudam a controlar pragas prejudiciais de insetos e lesmas. O jardineiro pode encorajar a permanência destes animais colocando chapas de zinco ou plásticos pretos no chão já que o licranço gosta especialmente de se colocar debaixo de tais objetos que funcionam como coletores de calor. Esse lagarto é inofensivo.


Por não terem patas visíveis, a cobra-de-vidro parece mesmo uma cobra, mas um olhar mais atento pode nos mostrar algumas diferenças que fazem com que esse animal não possa ser classificado dentro do grupo das cobras. Em primeiro lugar, não é verdade que a cobra-de-vidro não tenha patas. Realmente as patas anteriores são ausentes, mas eles possuem patas posteriores, ainda que bem atrofiadas lembrando umas pequenas aletas próximas do corpo. 

Você sabia que cobras não piscam? 
Cobras não piscam porque não possuem pálpebras, já a maioria das espécies de lagartos possui pálpebras, diferindo assim das cobras. Então se você observar um animalzinho sem patas piscando, certamente é um lagarto e não uma cobra, como é o caso da cobra-de-vidro.

Comprimento
Pode alcançar até 50 cm
Tempo de vida
Até 45 anos
Cor
Marrom ao bronze
Alimentação 
São carnívoros e, como se alimentam de lagartas, larvas e lesmas, baratinhas, grilos e tenébrios encontram-se frequentemente junto a campos com erva

Normalmente quando encontrados, são mortos por serem confundidos com cobras venenosas. Infelizmente a falta de conhecimento sobre nossa fauna tem levado a destruição de nossa biodiversidade, um patrimônio de nosso país e de toda a humanidade. Sim, preservar a biodiversidade é uma responsabilidade nossa!!!!



Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...