Pesquisar no blog

domingo, 5 de fevereiro de 2017

PEDOGÊNESE


A Terra como conhecemos hoje, nada mais é do que um conjunto de mudanças em todos esses anos. O solo, parte superficial da crosta terrestre, é um exemplo dessas alterações que ocorreram no Planeta até a sua formatação como se encontra agora. A pedogênese corresponde ao processo de formação dos solos, indicando suas transformações e etapas de transformação.



Entende-se por pedogênese (pedo: solo + gênese: origem) o processo de origem ou formação dos solos. Trata-se de um processo lento que demora centenas ou até milhares de anos para completar-se, dependendo quase que totalmente de fatores externos, como o clima, a água e até os ventos.
A pedogênese operacionaliza-se a partir da transformação das rochas, que, por isso, são chamadas de “rochas mães”, uma vez que as suas características definirão também as características químicas e minerais dos solos delas provenientes. É claro que esses solos sofrem transformações outras oriundas de fatores relacionados com os seres vivos e outros elementos, ganhando novos contornos e características específicas.
O principal processo responsável pela formação dos solos é o intemperismo. Sem esse fenômeno, não seria possível falar em processos de origem dos diferentes tipos de solos. O intemperismo nada mais é do que o desgaste da rocha com a sua desagregação em partículas (intemperismo físico) ou a sua decomposição (intemperismo químico), podendo ocorrer também a partir da ação de seres vivos (intemperismo biológico). Depois dessa desagregação ou decomposição das rochas em partículas, que são chamadas de sedimentos, temos a atividade realizada pelos organismos vivos, que operam processos de ordem físico-química, como o crescimento de líquens que liberam substâncias que dão novos tipos de composição orgânica. A presença da vegetação, de um modo geral, também é importante, além da atuação de micro-organismos vivos que decompõem os restos orgânicos e formam o húmus, responsável por tornar o solo mais fértil.
Em muitos aspectos, o solo é considerado como um organismo vivo, pois fornece as bases para a sustentação da vida, além de estar em constante transformação. Ele é um produto da interação entre a atmosfera, a litosfera e a biosfera, tornando-se parte constitutiva de todas essas estruturas que compõem o sistema terrestre. Os solos mais antigos formaram-se ao longo do período Terciário, há cerca de cinco milhões de anos ou ainda antes disso. Todavia, a maior parte dos solos originou-se no período mais recente, no Quaternário, com idades inferiores a 1,5 milhão de anos.

 Esquema simplificado das etapas da pedogênese:

Outros agentes influentes e transformadores do solo
Além da temperatura, pressão e dos diferentes estados da água, outros agentes contribuem para a degradação das rochas e assim na origem de novos tipo de solo, são eles: 
  • Relevo: Este agente auxilia no processo de entrega das águas da chuva, além dos raios solares, que proporciona mais intensidades de calor e de luz. Se por alguma razão o relevo for desigual, a distribuição do líquido será feito de forma diferente, atingindo mais áreas baixas e côncavas do que em regiões com maior declive.
  • Tempo cronológico: O tempo de exposição do solo à atmosfera determina a maturidade do mesmo. Os solos mais velhos, em geral, são mais profundos que os solos mais novos. 
 PARA SABER MAIS CLICA AQUI


Referência
http://www.agencia.cnptia.embrapa.br/gestor/solos_tropicais/arvore/CONT000gn362j9v02wx5ok0liq1mqy0jc9b7.html
http://brasilescola.uol.com.br/geografia/pedogenese.htm 
https://marianaplorenzo.com/2010/10/15/pedologia-intemperismo-e-pedogenese/

Um comentário:

DOMINGOS PINTO disse...

Sou geógrafo, licenciado pela universidade estadual do Maranhão, por isso, decidi seguir, aprimorar meus conhecimentos. Excelente conteúdo.