Pesquisar no blog

domingo, 5 de fevereiro de 2017

O MUNDO É DOS INSETOS

"Tão importantes são os insetos e outros artrópodes que se todos desaparecessem a humanidade provavelmente não sobreviveria mais do que alguns meses".
Diversidade da Vida" de Edward O. Wilson 



O que são  
Os insetos são animais invertebrados e fazem parte da classe insecta. Sugiram há milhões de anos. Cientistas afirmam que os primeiros surgiram há cerca de 500 milhões de anos. Os insetos são o grupo de animais mais diversificado que existe na Terra, possuem mais de 900 mil espécies conhecidas e podem ser encontrados em quase todos os ecossistemas do planeta, mas só algumas poucas espécies conseguem viver em oceanos.

Informações sobre os insetos
Independente de sua classificação, na grande maioria são animais que possuem exoesqueleto (esqueleto por fora do corpo - ou casca), corpo dividido em 3 partes (cabeça, tórax e abdome ). Possuem também seis pernas anexas ao tórax e, nesta região, pode haver também duas asas ou, em alguns casos, quatro delas. Grande parte dos insetos possui dois olhos, formado por vários outros menores, ou olhos simples, ou seja, tem a formação de vários olhos em um só. A respiração ocorre através de pequenos orifícios em sua pele. A grande parte dos insetos apresenta antenas que lhes proporcionam um olfato muito apurado, o que lhes permite capturar de forma mais precisa às suas presas. A ciência que estuda os insetos é a ENTOMOLOGIA.

Sistema reprodutor dos insetos 
Os insetos têm sexos separados e a sua fecundação é interna. São animais ovíparos, que podem apresentar três tipos de desenvolvimento:
  • Direto, sem metamorfose: desenvolvido ametábolo (a = sem, metábolo = mudança). Ex.: traça-dos-livros. Do ovo eclode um jovem semelhante ao adulto. 
  • Indireto, com metamorfose gradual ou incompleta: desenvolvimento hemimetábolo (hemi = meio). Exs.: gafanhoto, barata, percevejo. Do ovo eclode uma forma chamada ninfa, que é semelhante ao adulto (ou imago), mas que não tem asas desenvolvidas. 
  • Indireto, com metamorfose completa: desenvolvimento holometábolo (holo = total). Exs: Borboletas, besouros, libélulas, moscas e pulgas, etc... Do ovo eclode uma larva, também chamada lagarta, bastante distinta do adulto. Essa larva passa por um período que se alimenta ativamente, para depois entrar em estágio denominado pupa, quando ocorre a metamorfose: a larva se transforma no adulto ou imago, que emerge completamente formado. As larvas de algumas espécies de borboleta ou de mariposas produzem um casulo que protege a pupa. Depois de adulto, o inseto holometábolo não sofre mais mudas e, portanto, não cresce mais. A fase da larva pode durar de meses até mais de um ano, e a fase adulta pode durar de uma semana á alguns meses. A duração dessas fases depende da espécie.
Sistema circulatório dos insetos 
Na maioria dos insetos, o "sangue" é incolor e chamado de hemolinfa. A circulação é do tipo lacunar ou aberta. O coração é dorsal e bombeia a hemolinfa para a extremidade anterior, fazendo-a atingir lacunas corporais ou hemocelas onde, lentamente, ocorrem as trocas (nutrientes por excretas) nos tecidos. Nos insetos as trocas de gases na respiração não é feito pelo sistema circulatório. O retorno da hemolinfa ao coração se dá por pequenos orifícios laterais (óstios) existentes nas paredes do órgão.

Sistema respiratório dos insetos 
Os insetos respiram por traqueias, pequenos canais que ligam as células do interior do corpo com o meio ambiente. Cada túbulo traqueal se ramifica e gera túbulos cada vez mais delgados que penetram nas células, oxigenando-as e removendo o gás carbônico como produto da respiração. Movimento de contração dos músculos abdominais renovam continuamente o ar das traqueias, de mode semelhante a um fole.

Vida de Inseto 
No tocante ao seu desenvolvimento, a maioria dos insetos passa por vários estágios até chegar a fase do amadurecimento. As borboletas, por exemplo, passam por quatro fases: ovos, larvas, crisálidas e, por último, tornam-se adultas da forma como as conhecemos, com suas lindas asas coloridas e grandes. Existem também, os insetos que vivem em comunidade, as formigas, cupins e as abelhas fazem parte desta categoria. Estas espécies são extremamente organizadas e dividas hierarquicamente (por funções). Nas colmeias de abelhas, por exemplo, há a abelha rainha (responsável pela reprodução) e as operárias (que trabalham todo o tempo). Outros tipos bem conhecidos são os insetos-folhas, que fazem parte da família das baratas e são encontrados facilmente nas áreas tropicais de nosso planeta. Este tipo de inseto costuma ficar imóvel durante o dia (usando a capacidade de mimetismo), saindo somente no período da noite para procurar alimentos. Entre eles, somente os machos é que possuem a capacidade de voar. Da mesma família, fazem parte os insetos-gravetos ou bicho pau, que se parecem com pequenos galhos de árvore e como camuflagem, possuem em seus corpos áreas esverdeadas que lembram musgos. Este atributo os torna capaz de se misturarem com a paisagem (árvores, plantas e folhas) da região em que habitam, e, desta maneira, eles podem enganar suas presas e predadores.



Pragas urbanas 
Muitos destes insetos tem se tornado uma praga para a população dos grandes centros urbanos. É o caso dos conhecidos cupins,  formigas e baratas que avançam dentro das casas deixando um rastro de destruição. Com as construções de cimento e concreto, cada vez mais comuns, estes insetos tiveram suas fontes de alimentação esgotadas, e a única maneira de sobreviverem foi a disputa de espaços com os seres humanos.

Curiosidade:



O folha
Inseto folha ou folha-ambulante, da família Phylliidae, é talvez o que possua a camuflagem mais impressionante. Como seu nome sugere, eles evoluíram para imitar as folhas em vez de galho e seu mimetismo é particularmente avançado. Eles utilizam a camuflagem isso com tanta precisão que, na maioria das vezes, os predadores não são capazes de distingui-los das folhas reais. Em algumas espécies, a borda do corpo do inseto ainda tem a aparência de marcas de mordidas, como se fossem de folhas comidas por outros insetos. Para confundir ainda mais os predadores, quando o inseto caminha, ele balança para frente e para trás, para imitar uma folha real que está sendo soprada pelo vento.





Louva-a-deus orquídea
Talvez os mais “glamorosos” dessa lista, esses predadores floridos podem parecer os tipos extravagantes e graciosos, mas na verdade eles podem também ser assassinos cruéis. Eles usam a sua camuflagem, que imita uma pétala de flor, para se esconder de suas presas. Quando as moscas, abelhas e outros polinizadores se aproximam da flor, o louva-a-deus ataca sem piedade. É o ciclo da sobrevivência!





Assassino
Este inseto tem uma estratégia diferente, mas muito mais assustadora para a sua camuflagem. O Acanthaspis Petax, da ordem Hemiptera e da família Reduviidae, utiliza pilhas de cadáveres de suas vítimas em suas costas para se esconder de predadores, formando uma armadura macabra de carcaças. Embora possa parecer uma estratégia estranha, estudos têm mostrado que os insetos dessa espécie são dez vezes menos propensos a serem atacados por aranhas.



A maioria dos insetos realiza de maneira incansável funções para melhorar o ambiente e nossa vida
Muitos insetos são extremamente valiosos para o homem, e sem eles a sociedade humana não poderia existir na sua forma presente. Os insetos ajudam em atividades
  • como a polinização, na produção de muitas colheitas agrícolas, nas plantações e nos pomares;
  • no fornecimento de alimentos e outros produtos de valor comercial;
  • os insetos ainda servem como alimento de aves, peixes e outros animais úteis na alimentação do homem;
  • prestam serviços como predadores, decompositores;
  • além de ajudar a manter animais e plantas nocivas sobre controle;
Por outro ângulo, alguns  insetos também:
  • são nocivos e causam enormes prejuízos na agricultura e no armazenamento de produtos;
  • outros são vetores e/ou agente etiológico de doenças. 
  • uns são belos alguns nojentos, outros horríveis. 
As pessoas podem achá-los nojentos, mas bichos como os insetos são muito importantes. Antes das grandes cidades surgirem, havia menor quantidade desses animais. Naquela época, cumpriam funções diferentes das que têm hoje. Com a urbanização e o aumento da produção de lixo, encontraram grandes fontes de alimentos. Assim, se reproduziram mais rápido, tornando-se pragas. Entretanto, se algumas espécies desaparecessem completamente, a natureza teria problemas. Se os mosquitos, principalmente os que vivem nas florestas, sumissem, os peixes que se alimentam de sua larva morreriam de fome. A extinção da lagartixa, por sua vez, aumentaria a população de mosquitos, moscas, baratas e outros insetos. .A formiga é a jardineira da natureza. Escava o solo, ajudando a ventilá-lo, e espalha sementes, tarefa muito importante para a agricultura. Também é um dos principais predadores de outros insetos.
  • Os polinizadores são responsáveis pela produção natural de frutas e vegetais. O exemplo clássico é o da abelha que distribui o pólen e ajuda na reprodução das espécies vegetais, além de fabricar mel, alimento importante para seres humanos e animais.
  • Há também o bicho da seda, que fornece tecido para o homem desde tempos imemoráveis.
  • O besouro do esterco, por exemplo, reduz o efeito dos parasitas no gado, torna o pasto mais digerível e libera o nitrogênio do estrume que aduba as plantas.
  • Os insetos também representam um recurso fundamental para atividades como caça, pesca e observação da vida animal, incluindo o ecoturismo.
  • Outros serviços importantes prestados pelos os insetos, como a decomposição de matéria orgânica, lixo e árvores (o que reduz o perigo de incêndios), a produção de tintas e de outros produtos usados na medicina ou como fonte de alimento para os animais.

Os recursos dedicados à conservação devem prestar atenção especial aos insetos e ao papel que desempenham nos ecossistemas. Quando se considerar a doação de recursos à conservação, ou o controle do habitat natural, devemos pensar neste valor para assegurar que os insetos continuem desempenhando sua tarefa benéfica. Os insetos são cruciais para a economia de qualquer país, e é necessário protegê-­los. Sabemos como reparar os caminhos e outros componentes de nossa estrutura física, mas nossa infraestrutura biológica também é vulnerável.


Referência Bibliográfica 
megacurioso.com.br/ ninha.bio.br/ sobiologia.com.br/ todabiologia.com/zoologia/insetos /

Um comentário:

LiNEAR Videolocadora Eletrônica e Revistaria disse...

Importante este blog para a divulgação de conhecimentos sobre a vida no nosso planeta. Os assuntos estão muito bem descritos e de fácil compreensão.
Parabéns!