Pesquisar no blog

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

O MITO DA SECA - A CULPA É DA DEVASTAÇÃO DA AMAZÔNIA.

A importância da conservação e recuperação das florestas e dos solos ficam mais evidentes em época de crise da água. Para isso, é preciso lembrar da importância de políticas públicas para gestão dos recursos naturais. Estas podem ter diversas formas, como o planejamento, a educação ambiental e o comando e controle, que inclui o licenciamento e a fiscalização.


Florestas possuem função importante para o clima. 
Devido à capacidade das árvores de absorver água do solo, a floresta amazônica possui um importante papel para a regulação do clima na América do Sul. Ela libera umidade para atmosfera, mantendo o ar em movimento e levando chuvas para o continente. A umidade é exportada para regiões distantes pelos chamados "rios voadores" – sistemas aéreos de vapor – irrigando áreas no Sul, Sudeste, Centro-Oeste do Brasil, além de Bolívia, Paraguai e Argentina. O desmatamento na região pode ter um impacto significativo sobre o clima próximo e também distante da Amazônia, ao reduzir a transpiração da floresta e modificar a dinâmica de nuvens e chuvas no continente. Secas provocam queimadas, que provocam mais secas.
Porém esta estiagem não é somente culpa da amazônia, há uma combinação de efeitos, e o desmatamento é em parte responsável. Há também uma oscilação natural e as mudanças climáticas provocadas pelos homens . Secas provocam queimadas, que provocam mais secas. O principal fator da crise da água é a má gestão. As chuvas não vieram e os rios secaram.
Cientistas já cansaram de explicar que há um ‘rio’ de umidade da Amazônia para o Sudeste do Brasil, que alimenta as chuvas nesta região e é alimentado pela evapotranspiração da mata. A floresta está mais para torneira que pulmão. Afinal, todo o território brasileiro depende da chuva que a Amazônia gera e que está minguando devido ao desmatamento. Sabemos que desmatamentos secam mananciais. As mudanças no uso do solo causam catástrofes constantes, uma rede de desastres ambientais. A retirada da cobertura vegetal interrompe o fluxo de umidade do solo para a atmosfera. 

A constante devastação da Amazônia, secou o sudeste? Será que podemos dizer que as motosserras do Norte secaram o Sudeste?
Porém, se estivermos procurando uma devastação ambiental que agravou a crise de água na região, não precisa ir longe, é muito mais próximo a causa desta crise: É a destruição da Mata Atlântica e a má gestão dos recursos hídricos. Os 500 anos de destruição da Mata Atlântica levou o bioma a ter apenas 7% de sua cobertura florestal original. Reflorestar e recuperar essas matas é uma forma inteligente de garantir o abastecimento de água no futuro. A consequência lógica é que seguir desmatando é uma atitude suicida. Sem água, não há energia nem comida. Sem esse trio, lá se vai a segurança.
Postar um comentário