Pesquisar no blog

segunda-feira, 6 de março de 2017

AFINAL, QUAL É A MAIS ALTA MONTANHA CONHECIDA

Existem muitas dúvidas e certa polêmica sobre qual é a maior montanha do planeta. A resposta para essa pergunta, aparentemente óbvia para muitos, depende do referencial daquilo que se considera como “maior montanha”, o que não é muito simples e gera bastante divergência entre as pessoas.



UM POUCO SOBRE GEOMORFOLOGIA 
Como surgem as montanhas?
A crosta terrestre é feita de placas continentais que essencialmente flutuam na camada de rocha semissólida do manto abaixo. O que cria as montanhas em primeiro lugar é a colisão poderosa de placas tectônicas, o que por sua vez também “quebra” a rocha, enfraquecendo sua estrutura e expondo-a a erosão. Com o passar de milhões de anos, ciclos de congelamento e descongelamento aumentam essas fraturas da rocha, enquanto o vento arrebata o monte, e cursos d’água e glaciares esculpem depressões profundas na estrutura, enfraquecendo o suporte da montanha como um todo. Tais ações da natureza podem ser bastante prejudiciais para os montes. Por exemplo, o Monte Cook, uma montanha de 3.764 metros da Nova Zelândia, simplesmente perdeu seu topo em 1991, sendo reduzida a 3.754 metros. Com tantos fatores conspirando para diminuir a altura das montanhas na Terra, qualquer aposta de que elas pudessem ser maiores do que já são não seria segura. Entretanto, o Monte Everest parece estar crescendo. Atualmente, nossa maior montanha tem oficialmente 8.848 metros, medição feita por uma pesquisa indiana em 1955. Mas geólogos dizem que a montanha está ficando maior à medida que a Índia está empurrando a China e o Nepal (países que dividem a localização do Everest) com a mudança das placas continentais. Especialistas estimam que o monte está crescendo de 0,5 a 0,8 milímetros por ano. Em 1990, uma equipe americana usou GPS para medir o Everest e chegou a altura de 8.850 metros. A medida é utilizada nos EUA, embora não seja oficialmente aceita pelo Nepal, que vai iniciar uma avaliação própria que deve durar dois anos e será feita com o auxílio de GPS e três estações instaladas em diferentes locais. 50 anos mais tarde, uma nova medição do Monte Everest será uma caixinha de surpresas: a montanha pode estar maior ou menor, já que pode ter crescido ou perdido seu topo para o vento, a chuva e as rachaduras. 
A cordilheira do Himalaia surgiu de um processo natural conhecido como Dobramentos Modernos (também conhecidos como cadeias orogênicas ou cinturões orogênicos). São estruturas geológicas que se originaram em virtude das ações do tectonismo e correspondem à formação de cadeias montanhosas, apresentando as maiores altitudes do planeta por serem relativamente jovens se comparadas a outras formações no planeta, dessa forma o lento processo de erosão ainda atua sobre suas formações, diferente dos dobramentos antigos, onde os processos de erosão foram responsáveis pela formação de planaltos e bacias sedimentares. O início da formação das principais cadeias de montanhas da Terra não ocorreu antes de 250 milhões de anos atrás, durante o período terciário. Estima-se que o Himalaia tenha surgido cerca 50 a 40 milhões de anos atrás, quando as massas de terra da Índia e da Eurásia, impulsionados pelo movimento das placas tectônicas, colidiram.
  
Você provavelmente já deve ter ouvido por aí que o Monte Everest é a maior montanha do planeta, certo? Como já disse, isso vai depender do que se analisa. Vamos lá!!



Maior altura de montanha em relação ao nível do mar
Quando consideramos o nível do mar (altitude) como referência, aí o primeiro lugar pertence mesmo ao Monte Everest e aos seus imponentes 8.850 metros de altitude. A região onde ele se encontra – o Himalaia, na Ásia, fincada na fronteira entre o Nepal e o Tibete. – apresenta um relevo jovem e formado por atividades tectônicas. Assim, todos os dez pontos mais altos do planeta Terra encontram-se nessa mesma área.


Maior altura de montanha em relação à base
Se levarmos em conta o tamanho de uma montanha ou o ponto da Terra em relação a sua base, independentemente do nível do mar, o Monte Everest é facilmente desbancado pelo Mauna Kea, uma montanha formada a partir de um vulcão no Havaí. Do seu topo até o seu “pé”, o vulcão havaiano alcança mais de 10.000 metros. Essa montanha apresenta 4.205 metros acima do nível do mar, pois o restante fica submerso no oceano, haja vista que Estamos falando de uma ilha inteira!


Considerarmos somente as montanhas continentais
O Mauna Kea é oceânico –, o título muda novamente e vai para o Dhaulagiri, que também se localiza no Himalaia e possui uma altura de 8.167 metros do topo até a sua base.


 Maior altura de montanha do mundo em proximidade com o espaço
O formato da Terra, como sabemos, não é uma esfera perfeita, mas sim um “geoide”, com uma configuração ligeiramente disforme e achatada nos polos. Por isso, essa formação muda totalmente a perspectiva da maior montanha do nosso planeta se fizermos a pergunta: qual ponto da Terra está mais perto do espaço sideral? O que acontece é que as áreas mais próximas da Linha do Equador encontram-se naturalmente em uma faixa mais externa do planeta. Por isso, com base nesse quesito, o ponto mais externo do nosso planeta fica no Monte Chimborazo, localizado no Equador. Cálculos afirmam que ele está 2,4 km mais próximo do espaço do que o Everest. No entanto, em relação ao nível do mar, ele possui “apenas” 6.268 metros.


Maior altura de montanha conhecida
A montanha mais alta entre os planetas e luas do sistema solar encontra-se em Marte e é chamada de Monte Olimpo, com mais de 27 km de altura, o que dá mais do que três vezes o Everest! No planeta vermelho, essa formação natural manteve-se nesse estado de altitude elevada porque lá praticamente não atuam os agentes exógenos do relevo, responsáveis pelo desgaste das formas externas da superfície.

OBS. Não confunda - O Monte Olimpo, morada dos deuses gregos com 2917m de altitude, situa ao norte da Grécia (no limite entre Tessália e Macedônia, próximo ao Mar Egeu).



Referências
hypescience.com/ 

noticias.terra.com.br\ 
brasilescola.uol.com.br/ 
\pt.wikipedia.org/

Nenhum comentário: