Pesquisar no blog

sábado, 23 de maio de 2015

A NATUREZA TRAZ EM SI A MAIS PURA BELEZA


Os Patos Mandarins são referenciados pelos chineses como Yuan-yang , são frequentemente destacados na arte Oriental e são considerados como símbolos de carinho e fidelidade conjugal.


 
Ordem: ANSERIFORMES
Família: Anatidae
Espécie: Aix galericulata

Distribuição e Habitat
Nidificam no Sudeste da Rússia, no Nordeste da China e no Norte do Japão (são residentes nas ilhas Centro e Sul do Japão). Invernam no Sudeste da China e na Coreia do Sul. Foram introduzidos no Sul de Inglaterra. Vivem em ambientes aquáticos de água doce (pauis*, lagos, lagoas e rios de curso lento), nas proximidades de florestas temperadas de folha caduca.
*Pântano, zona úmida caracterizado por acumulação progressiva de turfa, com alto teor de matéria orgânica de origem vegetal. Trata-se de um ecossistema frágil, onde, apesar das emissões de metano, há mais síntese do que degradação de matéria orgânica.
Identificação
O macho adulto é uma ave surpreendente e inconfundível. Medem 41 a 51 cm de comprimento. Existe dimorfismo sexual. A plumagem vistosa do machos é mantida durante a maior parte do ano, exceto no período de muda das penas, que ocorre após a nidificação e dura algumas semanas. Nesta altura, os machos perdem as penas coloridas e ficam com plumagem semelhante à das fêmeas, assim conhecida por plumagem de eclipse. No Inverno, quando recomeça a atividade sexual, a plumagem do macho já retomou a sua exuberância inconfundível: as penas da cabeça alongam-se para trás, formando um “capacete” de cores branca e castanho-ferrugínea; o peito é castanho-escuro, tal como a parte superior do corpo; os flancos são castanho-claros; apresentam tipicamente duas “velas” de cor laranja, que se erguem acima do nível das asas. A fêmea tem plumagem castanha, com pintas castanho-claras no peito e nos flancos. Apresenta ainda uma mancha branca periocular (em torno dos olhos), que se estende para trás na cabeça, e uma linha direita branca na base do bico. Estas últimas características distinguem a fêmea desta espécie da fêmea de pato-carolino (Aix sponsa), cuja plumagem é muito semelhante, mas na qual a mancha periocular é mais larga e curta e, ainda, a barra branca na base do bico é curva em vez de direita. O bico é vermelho, no macho, e cinzento, na fêmea, o que permite distinguir os sexos, no período de eclipse. Em ambos os sexos, o espelho (barra de cor visível em voo, na parte superior da asa, correspondente às rêmiges* secundárias é verde-escuro.
* termo que define cada uma das penas maiores das asas de uma ave
Hábitos
Alimentam-se à superfície da água, em águas pouco profundas, durante o dia ou a noite. As populações do Centro e Sul do Japão e da Inglaterra são residentes. As restantes são migradoras.
Alimentação
Ingerem sementes, plantas aquáticas, caracóis, insetos e peixes.
Reprodução
A época de nidificação começa em Abril. Nidificam em casais. O ninho é construído em ocos de árvores. A postura é normalmente de nove a 12 ovos, que são incubados durante 28 a 30 dias. As crias são nidífugas, isto é, abandonam o ninho precocemente, neste caso apenas algumas horas após a eclosão; depois, seguem os progenitores (especialmente a fêmea) até serem capazes de voar. Os juvenis adquirem a plumagem de adultos com um mês a um mês e meio de idade. Atingem a maturidade sexual com cerca de um ano de idade.
Estatuto de conservação
Baixo risco/quase ameaçada (segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza). As populações têm declinado muito, em consequência da caça excessiva, do tráfico internacional e da destruição do habitat. 
Patos mandarim, que são referidas pelos chineses como Yuan-Yang , são frequentemente destacados na arte oriental e são considerados como um símbolo de carinho e fidelidade conjugal. Um provérbio chinês para casais de namorados usa o pato mandarim como uma metáfora: "Dois patos mandarim jogando na água". O símbolo Pato Mandarim também é usado em casamentos chineses, pois na tradição chinesa tradicional que simbolizam felicidade conjugal e fidelidade. A razão para esta metáfora é porque ao contrário de outras espécies de patos, marrecos mandarim estão presentes com as fêmeas que acasalou, junto com seus filhotes após os ovos terem eclodido e até mesmo em ver os patinhos de perto. Embora, mesmo com ambos os pais garantir os patinhos, a maioria deles não conseguem chegar à idade adulta. Em estado selvagem, patos mandarim caçam em áreas densamente arborizada perto de lagoas, pântanos ou lagoas.
Eles nidificam em cavidades nas árvores perto da água e durante a primavera, as fêmeas põem ovos em cavidades da árvore depois do acasalamento. Os machos não participam na incubação, simplesmente deixando a fêmea para proteger os ovos sozinha. No entanto, diferentemente de outras espécies de patos, o macho não abandona completamente a fêmea, deixando apenas temporariamente até que os patinhos que nasceram. Pouco depois a escotilha patos, sua mãe voa para o chão e persuade os patinhos de pular do ninho. Depois de todos os patinhos estão fora da árvore, eles vão acompanhar a mãe a um corpo nas proximidades da água onde normalmente ao encontro do pai, que após reunir a família os protege. Eles se alimentam principalmente perto do amanhecer ou ao anoitecer, empoleirando-se em árvores ou no chão durante o dia. Podem formar
pequenos bandos no inverno.

http://www.encantodasaves.com.br/ wikipedia/ mundodasminhasaves/ 
Postar um comentário