Pesquisar no blog

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

PARQUE NACIONAL DOS LENÇÓIS MARANHENSES

O Parque Nacional dos Lençóis é um Paraíso ecológico com 155 mil hectares de dunas, rios, lagoas e manguezais. Raro fenômeno geológico, foi formado ao longo de milhares de anos através da ação da natureza. Suas paisagens são deslumbrantes: imensidões de areias que fazem o lugar assemelhar-se a um deserto. Mas com características bem diferenciadas.

Não existe nada comparável aos fascinantes Lençóis Maranhenses. O Polo Parque dos Lençóis, situado no litoral oriental do Maranhão, envolve os municípios de Humberto de Campos, Primeira Cruz, Santo Amaro e Barreirinhas, este último sendo o principal portão de entrada para esta fantástica beleza natural.
Seu maior atrativo é o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, às margens do Rio das Preguiças, no Maranhão. São 155 mil hectares de paisagem deslumbrante, cheio de altas dunas com até 40 metros de altura e lagoas de água doce, cujas águas variam entre os tons de verde e azul.
A melhor maneira de explicar o que são os Lençóis Maranhenses, que ficam no nordeste do estado do Maranhão, seria dizer que é um enorme deserto inundado, por mais paradoxal que isto pareça.  Ao longo de milhares de anos, incontáveis ​​toneladas de areia do leito do rio Preguiças foram depositadas na foz do rio, na margem do Atlântico. No entanto, as forças da natureza reverteram este curso e com os ventos e as correntes oceânicas retornou o sedimento nada menos do que 50km para dentro do continente.
A área é formada por um perímetro de 270 km de dunas de areia branca que se espalharam ao longo desta área. As lagoas são preenchidas durante a estação chuvosa, com quase 160 centímetros de chuva por ano, começando em janeiro e terminando em junho. Uma vez que a estação seca começa em julho, as lagoas ou secam completamente ou tem a profundidade reduzida até dezembro. O pico da visitação ocorre entre maio e setembro, quando os vales entre essas dunas de areia são preenchidos com água azul-turquesa.
Os Lençóis Maranhenses assemelham-se um grande deserto, se não chovesse aqui 300 vezes mais do que no Saara africano. São estas águas que, aprisionadas entre as dunas, formam verdadeiros oásis tropicais, paradas obrigatórias para quem caminha nas dunas. Algumas lagoas chegam até a ter peixes.
As águas pluviais formam lagoas que se espalham em praticamente toda a área do parque formando uma paisagem inigualável, sendo um raro fenômeno geológico formado ao longo de milhares de anos através da ação da natureza. As lagoas mais conhecidas são as chamadas; Lagoa Azul e Lagoa Bonita, famosas pelo seu encantamento e condições de banho.
O clima é sub-úmido seco, com temperatura média anual de 26 °C. Apesar da aparência desértica da área do parque, o clima da região tem duas estações bem definidas: uma chuvosa, que vai de janeiro a julho, e outra seca, de agosto a dezembro. As chuvas contribuem para o controle da umidade da região e formação de lagos. Entre dezembro e janeiro, e às vezes até o final de fevereiro, no período de transição entre as estações chuvosa e seca, os lençóis maranhenses ocasionalmente secam, fazendo com que as lagoas azuladas ou esverdeadas desaparecem.7 A precipitação média nos anos de 1997 e 1998 foi respectivamente de 783,3 e 991,8 mm.

Postar um comentário