Pesquisar no blog

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

DA RIO 92 A RIO +20


É preciso rever e ampliar a nossa noção de desenvolvimento e entendê-lo como uma construção coletiva capaz de gerar qualidade de vida nas dimensões ambiental, econômica, social, cultural e ética. 
 

Pode-se dizer que o movimento ambiental começou séculos atrás, como uma resposta à industrialização. No século XIX, os poetas românticos britânicos exaltaram as belezas da natureza, enquanto o escritor americano Henry David Thoreau pregava o retorno da vida simples, regrada pelos valores implícitos na natureza. Foi uma dicotomia que continuou até o século XX. Após a Segunda Guerra Mundial, a era nuclear fez surgir temores de um novo tipo de poluição por radiação. O movimento ambientalista ganhou novo impulso em 1962 com a publicação do livro de Rachel Carson, “A Primavera Silenciosa”, que fez um alerta sobre o uso agrícola de pesticidas químicos sintéticos. Cientista e escritora, Carson destacou a necessidade de respeitar o ecossistema em que vivemos para proteger a saúde humana e o meio ambiente. Em 1969, a primeira foto da Terra vista do espaço tocou o coração da humanidade com a sua beleza e simplicidade. Ver pela primeira vez este “grande mar azul” em uma imensa galáxia chamou a atenção de muitos para o fato de que vivemos em uma única Terra – um ecossistema frágil e interdependente. E a responsabilidade de proteger a saúde e o bem-estar desse ecossistema começou a surgir na consciência coletiva do mundo. Com o fim da tumultuada década de 1960, seus mais altos ideais e visões começaram ser colocados em prática. Entre estes estava a visão ambiental – agora, literalmente, um fenômeno global. Enquanto a preocupação universal sobre o uso saudável e sustentável do planeta e de seus recursos continuou a crescer, em 1972 a ONU convocou a Conferência das Nações Unidas sobre o Ambiente Humano, em Estocolmo (Suécia). O evento foi um marco e sua Declaração final contém 19 princípios que representam um Manifesto Ambiental para nossos tempos. Ao abordar a necessidade de “inspirar e guiar os povos do mundo para a preservação e a melhoria do ambiente humano”, o Manifesto estabeleceu as bases para a nova agenda ambiental do Sistema das Nações Unidas. Em 1992, ano da Eco-92, o mundo havia recém-saído da Guerra Fria. Ao mesmo tempo, a agenda ambiental ganhava força e passava a ser discutida por toda a sociedade. 

 Eco 92
A Eco 92 foi um grande evento de debate sobre desenvolvimento sustentável que aconteceu na cidade do Rio de Janeiro em junho de 1992. Foi o segundo evento sobre o tema (em 1972, ocorreu a primeira em Estocolmo/Suécia). Diferente da conferência de 1972, a Rio 92 teve um caráter especial, pois, contava com a presença de inúmeros chefes de estado. Para poder ter uma ideia da importância do evento, o então presidente Collor transferiu, temporariamente, a capital federal para o Rio de Janeiro e assim, as forças armadas foram deslocadas para o Rio tendo como responsabilidade a segurança do evento.  A presença de diversas ONGs fez com que, paralelamente, ocorresse o Fórum Global em que foi aprovado a "Carta da Terra".  Um dos resultados mais significativos que a Eco 92 possibilitou foi a assinatura da "Agenda 21". Um acordo estabelecido entre 179 países. A Agenda 21 é um documento estratégico, visando fomentar em escala planetária um novo modelo de desenvolvimento que modifique os padrões de consumo.  Além de todos esses resultados, durante a Rio 92 foram aprovadas duas conferências: uma sobre biodiversidade e a outra sobre mudanças climáticas. Podemos dizer que outro resultado da Eco 92 e suas conferências sobre mudanças climáticas, foi a assinatura do Protocolo de Kyoto em 1997.

 Rio +10

Foi uma conferência das Nações Unidas ocorrida em Joanesburgo na África do Sul. Entre os dias 26 de agosto e 04 de setembro de 2002 a Cúpula Mundial sobre Desenvolvimento Sustentável ficou mais conhecida como Rio +10 por ocorrer 10 anos depois da Eco 92. A escassez de água potável, o desmatamento, o saneamento, a produtividade agrícola, a biodiversidade, erradicação da pobreza, consumo e a saúde foram alguns dos temas tratados na Rio +10.






Rio +20

Seguindo a lógica da Rio +10, de 13 a 22 de junho 2012, ocorreu na cidade do Rio de Janeiro a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável que ficou mais conhecida como Rio +20 por marcar exatamente 20 anos depois da Eco 92. A Rio +20 deverá contribuir para a definição da agenda de desenvolvimento sustentável para as próximas décadas. O objetivo da conferência é a renovação do compromisso político com o desenvolvimento sustentável. A Conferência se desenvolverá em dois temas principais: "A economia verde no contexto do desenvolvimento sustentável e da erradicação da pobreza" e "A estrutura institucional para o desenvolvimento sustentável". A Rio +20 será composta de 3 momentos: de 13 a 15 de junho - III Reunião do Comitê Preparatório; de 16 a 19 de junho - serão programados eventos com a sociedade civil; de 20 a 22 de junho - ocorrerá o segmento de alto nível da conferência onde é esperada a presença de diversos chefes de Estado e de Governo dos países-membros das Nações Unidas.



FONTE: onu.org.br / wikipédia/terradebate/tierraamerica/

Nenhum comentário: