Pesquisar no blog

domingo, 29 de julho de 2012

BRINCANDO DE CIENTISTA

Que tal despertar o interesse científico no seu filho, sobrinho, aluno ou pupilo, até mesmo de si.
A ciência é uma construção humana coletiva da qual participam a imaginação, a intuição e a emoção. Descobrir sobre o mundo à sua volta é mais divertido quando você brinca de cientista .




A ciência refere-se a qualquer conhecimento ou prática sistemática. Adquirir conhecimento baseado no método científico de comprovação:
1) Observação
2) Dedução da hipótese
3) Fazer teste com a hipótese
4) Confirmar a hipótese para formar uma teoria
Descobrir sobre o mundo à sua volta é mais divertido quando você brinca de cientista com a ajuda de experimentos científicos para fazer ao ar livre. O que poderia ser melhor do que passar um dia fora de casa, explorando o meio ambiente? Se você deseja explorar seu jardim ou colecionar pedras do espaço sideral, as experiências dos artigos a seguir lhe darão horas de entretenimento.

FOLHA PERFUMADA

Folha perfumada não é completamente desconhecida: Se você já sentiu o cheiro de ervas na cozinha como alecrim ou manjericão, já sabe que cada uma dessas folhas tem seu perfume particular. Mas você sabia que cada árvore e arbusto de seu jardim ou de sua vizinhança têm folhas com cheiros característicos? Ainda que seus aromas não sejam fortes como o perfume de muitas ervas, as folhas das árvores e arbustos podem ser frequentemente identificadas por seus perfumes específicos.
O que você vai precisar:
Diversas folhas de árvores ou arbustos
Como aprender sobre folha perfumada:
  1. Primeiro passo: Pegue a folha de árvores e triture-as com sua mão.
  2. Segundo passo: Segure próximo do nariz e cheire. Qual cheiro isso lembra? Você pode descrever o perfume? Algumas folhas cheiram a mofo. Coníferas têm um forte odor de pinheiro. Outras folhas podem ter cheiro refrescante ou forte.
  3. Terceiro passo: Tente isso com diferentes tipos de árvores e arbustos que você conseguir encontrar.
  4. Quarto passo: Agora, teste você mesmo. Feche os olhos e pegue alguma folha triturada e cheire ou faça um montinho com diferentes folhas e faça um sorteio com os olhos fechados.
DETETIVE DO VENTO
Você pode se tornar um “detetive do vento” usando somente seus poderes de observação. Quando você anda pela rua, você nota se as folhas das árvores estão se mexendo? Você pode sentir a brisa contra sua pele? Com certeza, é fácil dizer a diferença entre uma brisa suave e uma ventania, mas um pequeno trabalho de detetive – lendo as pistas que estão ao seu redor – pode ajudá-lo a fazer uma descrição mais exata da força do vento. No começo da década de 1800, um almirante britânico chamado Francis Beaufort elaborou um sistema que descreve a força do vento e que tem um mesmo significado para todas as pessoas. A tabela abaixo mostra a escala Beaufort, que demonstra como é cada nível do vento, tanto no mar como na terra.

Tipo de vento
Pistas no mar
Pistas na terra
Calmo
Água tranquila
Poeira sobe
Vento fraco
Pequenas ondulações
Poeira espalhada
Brisa fraca
Ondas pequenas
Movimentação de folhas e cata-vento
Brisa suave
Ondas grandes; espuma
Movimentação de galhos finos
Brisa moderada
Ondas pequenas
Movimentação de galhos; agitação de bandeiras
Brisa refrescante
Ondas médias; spray marinho
Balanço de pequenas árvores
Brisa forte
Ondas grandes; mais de 3m
Balanço de galhos grandes
Vento forte
Ondas de 5m a 7m
Balanço de árvores grandes
Vendaval fraco
Ondas de 7m a 9m
Galhos quebrados; difícil de andar
Vendaval forte
Ondas de 7m a 10m
Queda de sinalização de rua
Tempestade
Ondas de 8m a 12m
Queda de árvores
Tempestade violenta
Ondas de 11m a 15m; espuma cobrindo a superfície
Grandes danos
Furacão
Ondas de 13m a 18m; forte spray marinho e espuma
Grande destruição
Como se tornar um detetive do vento:
  1. Primeiro passo: Escolha um dia, procure por pistas que mostrem o quanto o vento é forte. De acordo com a escala, é um dia 0 ou o sétimo dia? É uma brisa fraca ou uma brisa refrescante?
  2. Segundo passo: Guarde suas observações em um caderno ou no computador.
  3. Terceiro passo: faça as observações por vários dias e vai anotando-as.
  4. Quarto passo: descreva sua observação metodicamente

TERMÔMETRO DE GRILO
“Termômetro de grilo” é um truque simples que surpreendentemente mede a temperatura exata que está na rua – apenas ouvindo os grilos! O truque é realizado contando o número de cri-criladas dos grilos. É por isso que esses insetos são frequentemente chamados de “termômetros da natureza”. Você realmente pode dizer a temperatura ouvindo os grilos.
Como usar o termômetro de grilo:
  1. Primeiro passo: Saia de casa à tarde e vá para um lugar onde você possa escutar os grilos. Tente ouvir o cri-crilar de apenas um grilo.
  2. Segundo passo: Conte as cri-criladas por um minuto.
  3. Terceiro passo: Anote o número e depois faça a conta:

A conta vai dizer a temperatura em graus Celsius – esse é o termômetro de grilo!

CENSO DO GRAMADO
O censo – para contar a população – leva mais de 10 anos para ficar pronto, mas você pode fazer um “censo do gramado” sempre que sua grama precisar ser cortada. O censo é um jeito simples de aprender sobre as pessoas que vivem em determinada região, então quando você fizer o “censo do gramado”, você irá descobrir quem está morando em sua grama – e quantos estão vivendo lá. Você também pode descobrir outras coisas, como qual o tipo de grama que cresce e se ela é diferente de outros tipos de ervas. Então, seja um recenseador (pessoa responsável por ir até as casas para coletar informações para o censo) e contabilize quantos bichos têm no seu jardim. Você provavelmente vai encontrar alguns besouros, aranhas, larvas e outros moradores da grama.
O que você vai precisar:
  • Gramado
  • Caderno
  • Caneta
  • Lupa
Como realizar o censo do gramado:
  1. Primeiro passo: Quando seu gramado estiver pronto para ser cortado, agache-se e procure por animais. Use sua lupa para encontrar as criaturas bem pequenas.
  2. Segundo passo: Anote o que você vê.
  3. Terceiro passo: Pela manhã, depois que a grama foi cortada, faça um segundo censo. (As mesmas ervas ainda estão vivas?) Cace novamente bichos pelo gramado. Como eles fugiram do cortador de grama?
  4. Quarto passo: Anote suas observações.


ISSO VEIO DO ESPAÇO SIDERAL

“Isso veio do espaço sideral” é a frase que deve ser aplicada em mais coisas do que você pensa. Ainda que nós normalmente ignoremos isso, a Terra é constantemente bombardeada com rochas vindas do espaço. Elas vêm do espaço sideral como grandes rochas e são conhecidas como meteoritos quando alcançam a superfície terrestre. Entretanto eles queimam na atmosfera antes de alcançarem a Terra. E das poucas rochas que caem na Terra, muitas se tornam pó ou pequenas partículas de rochas devido ao tempo que elas levam para alcançar a superfície do planeta. Minúsculas pedras de meteoritos são difíceis de encontrar, mas meteoritos de ferro são mais fáceis de coletar.
O que você vai precisar:
  • Lençol
  • Ímã
  • Garrafa plástica
Como encontrar rochas que vieram do espaço sideral:

  1. Primeiro passo: Em uma noite limpa e clara, estenda um lençol no chão. (Tenha certeza de que o lugar onde você vai colocar o lençol é aberto, longe das árvores.)
  2. Segundo passo: Depois coloque pedras ou tijolos nas pontas para que não voe e deixe-o lá a noite toda.
  3. Terceiro passo: Pela manhã, examine o lençol. Você notará pequenas partículas sujas. A maioria dessa sujeira é poeira vinda do ar, mas algumas vieram do espaço.
  4. Quarto passo: Pegue o ímã e passe devagar por cima do lençol. Se tiver algumas partículas de ferro de meteoritos, elas irão grudar no ímã.
  5. Quinto passo: Tire cuidadosamente as partículas de ferro do ímã e guarde em um recipiente, como uma garrafa de plástico ou pote. Partículas de meteoritos é uma grande aquisição para a sua coleção de rochas!


TOSTADO

Se você ficar no sol por um longo período sua pele ficará tostada? Excesso de exposição ao sol pode fazer mal à saúde. Existe um jeito fácil de ver o efeito dos raios solares – sem sacrificar sua própria pele. Tente fazer essa experiência usando pedaços macios de couro. Antes de começar, pegue quatro pedaços de couro e grampeie em um bloco de madeira. O couro vai agir como se fosse sua “pele”.

O que você vai precisar:
  • · Pedaços macios de couro
  • · Bloco de madeira
  • · Grampeador
  • · Filtro solar
  • · Óleo de bebê
  • · Água
Como perceber se sua pele ficou tostada:
  1. Primeiro passo: Esfregue uma grossa camada de protetor solar transversalmente na parte superior de uma tira, esfregue óleo de bebê em cima do segundo pedaço de couro e despeje água no terceiro. Deixe a quarta faixa ao natural.
  2. Segundo passo: Em um dia quente de verão, pegue as faixas de couro que estão ao ar livre e deixe-as no sol.
  3. Terceiro passo: No dia seguinte, que também deve estar ensolarado e quente, reaplique o filtro solar, o óleo de bebê e a água e repita o processo. Continue fazendo isso a cada dia quente e com sol.
  4. Quarto passo: Ao final do verão, ou da semana examine de perto as tiras de couro e veja como elas ficaram. Agora imagine o couro como sendo a sua pele. Use uma lupa para ver com mais detalhes.

BOLAS IMPERMEÁVEIS DE ALGODÃO

Bolas impermeáveis de algodão mostram a melhor maneira de ficar seco quando chove. Esse engenhoso experimento apontará quais tipos de roupas são melhores para se usar durante uma tempestade. Você ficará ensopado – ou seco como o deserto? Deixe a bola de algodão ser seu guia.
O que você vai precisar:
  • · Bolas de algodão· Cinco pedaços de diferentes tecidos
  • · Grampeador
  • · Pedaço de madeira
  • · Extrator de grampo
Como fazer bolas impermeáveis de algodão:
  1. Primeiro passo: Pegue cinco bolas de algodão e cinco pedaços de diferentes tipos de tecidos. Certifique-se de que cada pedaço de tecido é grande o suficiente para cobrir a bola de algodão.
  2. Segundo passo: Em um dia chuvoso, coloque as bolas de algodão no pedaço de madeira e cubra cada uma com um tipo diferente de tecido.
  3. Terceiro passo: Grampeie o tecido na madeira para que o vento não interrompa sua experiência.
  4. Quarto passo: Deixe as bolas de algodão na chuva por cinco minutos.
  5. Quinto passo: Traga-as para dentro e use o extrator de grampos para tirar o tecido de cada bola de algodão.
Qual bola de algodão está seca? Quais bolas estão completamente ensopadas? O que você descobriu vai ajudá-lo a decidir que tipo de casaco usar quando estiver chovendo.


KIT DE TESTE PARA MINERAIS
Os caçadores de super pedras vão adorar montar esse kit simples para identificar os minerais e testar suas propriedades.
Primeiro, faça uma bolsa bem reforçada para poder carregar seu kit
  1. Passo 1: corte dois pedaços de lona ou qualquer tecido resistente de 15cm x 20 cm e junte-os, com o lado errado de fora.
  2. Passo 2: costure três lados juntos.
  3. Passo 3: na parte aberta, dobre 1cm do tecido para formar uma casa. Costure essa parte e deixe os cantos abertos.
  4. Passo 4: passe um cordão dentro da casa, de forma que ele feche o saco quando você o puxar, formando uma bolsa.
Você vai precisar de:
  • · Moeda de 5 centavos
  • · Um pequeno pedaço de vidro
  • · Um pedaço de azulejo não envidraçado
  • · Lixa ou canivete de bolso
  • · Uma garrafa pequena de vinagre
  • · Conta gotas
  • · Pedras
  • · Livro de referência para pedras
Depois de reunir todos esses materiais, veja como você pode usar seu kit para testar rochas e minerais:
  • Passo 1: com o azulejo, faça várias listras raspando-o contra a pedra. Veja qual a cor dos arranhões.
  • Passo 2: o vinagre é usado para testar a presença de carbonato de cálcio. Ponha uma gota de vinagre na pedra. Se efervescer, significa que ela tem carbonato de cálcio.
  • Passo 3: teste a rigidez da pedra, que é medida em uma escala mohs que vai de 1 (a mais macia) a 10 (a mais dura). É assim que funciona:
  1. · se uma unha consegue arranhar a pedra, é 1 ou 2.
  2. · se uma moeda arranhar a pedra, é 3.
  3. · se uma lâmina de faca ou uma lixa conseguem arranhar a pedra, é 4 ou 5.
  4. · se um pedaço de vidro arranha a pedra, é 6.
  5. · se a pedra consegue arranhar a faca ou a lixa ou se mal consegue arranhar o vidro, é 7.
  6. · Os números mais altos (8 a 10) são usados para pedras que são mais duras que os minerais comuns que você pode achar.


PROJETO CIENTÍFICO COM CRISTAIS DOCES


Com o projeto científico com cristais doces, você vai fazer duas coisas ao mesmo tempo: aprender como cristais se formam na natureza e ainda fazer doces!
Você vai precisar de:
  • · Panela
  • · Água
  • · Açúcar
  • · Copo de vidro
  • · 15 cm de barbante
  • · Lápis
  • · Palito de sorvete
  1. Passo 1: com a ajuda de um adulto, ferva meia xícara de água na panela.Passo 2: adicione uma xícara de açúcar, uma colher por vez, até que o açúcar se dissolva. Continue adicionando o açúcar até que a mistura transforme-se em um xarope transparente.
  2. Passo 3: deixe o xarope esfriar por cerca de 10 minutos, e depois coloque no copo de vidro.
  3. Passo 4: pegue o barbante e amarre um lado ao redor de um lápis e o outro na ponta de um palito de sorvete. Coloque o lápis deitado na boca do copo, de modo que o palito de sorvete fique pendurado dentro do xarope.
  4. Passo 5: deixe seu “fazedor de cristal” de lado. Dê uma olhada todos os dias para ver o que está acontecendo. Em mais ou menos uma semana, o xarope deverá estar cristalizado e pronto para comer!
PROJETO CIENTÍFICO COM CRISTAIS ASSUSTADORES

Quando você começar a trabalhar com esse projeto, tenha cuidado. Você pode se sentir como um cientista maluco assim que chegar nos resultados!
Você vai precisar de:
  • · Panela
  • · Água· Copo e colher de medidas
  • · Sulfato de magnésio (sal amargo ou sal de Epsom)
  • · Colher
  • · Corante alimentar verde
  • · Tampinhas de garrafa de metal
  • · Fôrma redonda de torta
  • · Pedaços de 5 cm de barbante
  • · Moedas de 10 centavos
  1. Passo 1: peça a ajuda de um adulto para aquecer meia xícara de água na panela em fogo médio. Pegue meia xícara de sulfato de magnésio e vá adicionando a colheradas na água quente, até que ele não dissolva mais. Desligue o fogo.
  2. Passo 2: adicione 2 gotas do corante alimentício verde e mexa. Deixe a mistura esfriar por 20 minutos ou mais.
  3. Passo 3: coloque as tampinhas de garrafa na forma de torta. Com cuidado, despeje a mistura morna nas tampinhas até a borda delas.
  4. Passo 4: coloque os pedaços de barbante dentro das tampinhas. Use as moedas para impedir que o barbante flutue e segure-o no fundo.
  5. Passo 5: coloque a forma em algum lugar onde a água evapore rapidamente. Lugares quentes e com uma boa corrente de vento aumentam a evaporação.
  6. Passo 6: observe as tampinhas por algumas semanas para ver a formação dos cristais. Se formarem uma crosta na superfície da água, use um lápis para fazer um pequeno buraco.
O que aconteceu? O sulfato de magnésio dissolve na água. Esquentar a água faz com que mais sal se dissolva nela. Quando você faz isso, cria o que os químicos chamam de solução supersaturada. Depois que você despeja a água nas tampinhas, ela começa a esfriar. Agora a água não consegue prender tanto sal, e os cristais começam a se formar. Enquanto a água evapora, os cristais continuam a crescer. Examine bem e compare alguns grãos de sal comum com o sulfato de magnésio. Você pode ver que os cristais têm formas diferentes. Quando cristais grandes crescem, eles são feitos das mesmas formas repetidas.



Fonte: http://www.cienciahoje.pt /  http://www.umdois.com.br /  http://www.comofazertudo.com.br /
ambientebrasil.com.br / uolescola.com.br
Postar um comentário