Pesquisar no blog

terça-feira, 23 de agosto de 2011

PLANO DE AULA - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS BRASILEIRO


Os domínios morfoclimáticos representam a interação e a integração do clima, relevo e vegetação que resultam na formação de uma paisagem passível de ser individualizada.



CONCEITOS

Clima, domínios morfoclimáticos, Paisagem natural, relevo, vegetação, zona de transição.


HABILIDADES E COMPETÊNCIAS


  1. Capacidade de estabelecer relações de causalidade, analisar, interpretar, descrever, localizar, pesquisar, associar, relacionar;
  2. O aluno deverá ser capaz de entender/explicar a dinâmica natural e as suas interações;
  3. Vivência em equipe;
  4.  Capacidade de bem realizar uma tarefa, ou seja, resolver uma situação Complexa;


OBJETIVOS
O aluno deverá


  1.  Conhecer a divisão em domínios morfoclimáticos proposta por Aziz Nacib Ab'Saber e a sua abordagem conceitual;
  2. Compreender a dinâmica do espaço natural a partir da correlação entre clima, relevo, hidrografia, solos etc. e as paisagens resultantes desta interação;
  3. Conhecer cada um dos domínios, inclusive as faixas de transição, e as suas especificidades;
  4. Compreender como a ação antrópica interfere nas paisagens, transformando-as e alterando a sua dinâmica natural a partir dos problemas ambientais;
  5. Conhecer como as diferentes características naturais podem resultar em diferentes aproveitamentos econômicos (extrativismo do látex, madeira, produção do sal, pau-brasil, transporte hidroviário, hidrelétricas etc.);
  6. Diferenciar e correlacionar cada um dos domínios;
  7. Compreender a interação e a interdependência entre os diversos elementos de sua paisagem (relevo, clima, vegetação, hidrografia, solo, fauna etc.);


ESTRATÉGIAS
  1.  Propor a confecção de um mapa temático com os domínios morfoclimáticos;
  2. Apresentar um climograma, os solos, vegetação, hidrografia etc. para cada um dos domínios;
  3. Associar o relevo ao clima e à latitude (chuvas orográficas, ventos alísios etc.), associar às características do solo e à sua fertilidade (laterização, lixiviação, profundidade e outras características) e associar estes elementos à hidrografia (vazão, drenagem, perenidade etc.); por fim, incluir na análise a vegetação e suas características (higrófila - relacionar com a umidade e a pluviosidade na Amazônia, por exemplo; caducifólia - a existência de uma estação seca no cerrado; acicufoliada - associada à queda de neve no passado ou no presente; a acidez do solo no cerrado e a sua aparência de xerófila ou pseudoxerófila; xerófila - adaptada à falta de umidade etc.);
  4. Pesquisar as formas de relevo e a vegetação, procurando identificar formas características de relevo (Chapadas, coxilhas etc.) e as espécies características da vegetação;
  5. Pesquisar os impactos ambientais mais graves relacionados ao que foi exposto: arenização-desertificação; desflorestamento, erosão, voçorocamento, deslizamento de terras etc.;
  6. Propor a confecção de uma maquete com os domínios morfoclimáticos;
  7. Analisar um climograma de cada um dos domínios morfoclimáticos;


CONCLUSÃO DAS ATIVIDADES

  1. Fazer um mural com o mapa dos domínios morfoclimáticos e, em volta, colocar as fotos, imagens, gráficos e características de cada um. Se possível, colocar uma planta, semente ou fruta dos domínios;
  2. Montar uma exposição com os produtos do extrativismo (exemplos: madeira da Amazônia ou da Floresta de Araucárias, sorvete de cupuaçu, artesanato feito com produtos regionais etc.);
  3. Montar um seminário onde cada grupo ficara responsável pela apresentação de um domínio morfoclimático.

Nenhum comentário: