Pesquisar no blog

quarta-feira, 26 de abril de 2017

ATRAÇÃO ENTRE IGUAIS



Existe homossexualismo e vasta diversidade de comportamentos sexuais entre os bichos. Eles vão muito além da tradicional união de macho com fêmea. A preferência e motivação animal é sempre inferida a partir do comportamento. Em animais selvagens, pesquisadores não podem estabelecer uma regra capaz de mapear toda a vida de um indivíduo e deve-se inferir a partir da frequência de observações individuais de comportamento.



O comportamento homossexual entre os animais existe há milhares de anos, mas pouco ainda se sabe sobre isso – principalmente por repressões sociais dos homens, que não consideram a prática como sendo natural. Para você ter uma ideia, um rico estudo de 1911 mostrou como os Pinguins-de-Adélia mantêm relações homoafetivas, mas foi proibido de ser publicado por ser considerado muito chocante para a época. Na maioria dos casos, presume-se que o comportamento homossexual não é senão parte do repertório comportamental sexual geral dos animais, fazendo com que o termo "bissexual" seja melhor aplicado em vez de "homossexual", de acordo como essas palavras são comumente compreendidas em seres humanos. No entanto, casos de preferência homossexual e pares homossexuais exclusivos também são registrados no reino animal. 
Recentemente, esse tipo de interação animal está sendo cada vez mais estudada. Alguns cientistas chegam a dizer que o comportamento homossexual existe em todas as espécies, independente do tamanho – menos naquelas em que o sexo é inexistente como um todo. E engana-se quem pensa que a homoafetividade animal é um caráter apenas evolutivo: algumas espécies praticam a homossexualidade por lazer!  Talvez nunca encontremos um animal selvagem que seja estritamente homossexual como muitos humanos. Mas podemos estar certos de que vamos descobrir cada vez mais animais que não se encaixam nas categorias tradicionais de orientação sexual. Eles usam o sexo para satisfazer todo tipo de necessidade, do simples prazer à afirmação social. E isso exige flexibilidade.


Algumas espécies de animais que apresentam características gays: 
Eles fazem porque gostam. E pronto!



Girafa
Nove em cada dez casais de girafas é de indivíduos machos. Eles ficam roçando os pescoços até o momento em que um deles monta no outro e termina o ato sexual.


Albatroz-de-Laysan
Vive no arquipélago americano do Havaí. realmente parecem ser totalmente gays. Entre esses enormes pássaros, os casais normalmente permanecem ‘casados’ por toda a vida e participam ativamente dos cuidados com os filhotes. Mas em uma população da ilha de Oahu, 31% dos casais são formados por duas fêmeas sem parentesco entre si. E mais: elas cuidam de filhotes cujos pais são machos que já estão em um ‘casamento estável’ com outra fêmea, mas ‘pulam a cerca’ para acasalar com uma ou ambas as fêmeas do casal de mesmo sexo.

Galo-da-serra-do-pará
Esse pássaro é encontrado na região Norte do Brasil, principalmente nos estados do Amazonas, Roraima e Pará. Cerca de 40% dos machos se envolve em atividades homossexuais ao ponto de sequer se interessar pelas fêmeas.


Leão
Estima-se que 8% dos machos dos leões apresentam comportamentos homossexuais. Algumas leoas também já desenvolveram esse comportamento em cativeiro, mas são principalmente os machos que o apresentam.

Pinguim
O comportamento homossexual dos pinguins é um dos mais bem estudados da natureza, tendo sido iniciado há mais de 1 século. Mesmo em cativeiro, os pinguins gays são bastante notados – tanto que, em 2004, dois machos chocaram um ovo e adotaram o filhote no Zoológico do Central Park, em Nova York.


Baleia-cinzenta
Machos de baleia-cinzenta, que chegam a medir 15 metros e pesar 36 toneladas, organizam verdadeiras orgias no fundo no mar: vários espécimes ficam nadando de barrigas coladas enquanto roçam os pênis.


Chimpanzé-pigmeu
Os chimpanzés-pigmeus, também chamado de bonobos, compartilham 98% do DNA humano – um dos parentes genéticos mais próximos que nós possuímos. Eles são conhecidos por serem animais extremamente sexuais, com quase todos eles sendo bissexuais. Além disso, eles usam o sexo para evitar conflitos e para criar laços afetivos. Tanto machos quanto fêmeas apresentam comportamentos homossexuais. Mas o sexo entre esses animais também tem a função de consolidar as relações sociais. Bonobos podem usar o sexo para se aproximar de membros dominantes do grupo e assim ganhar mais status. Até mesmo os mais jovens costumam confortar outros com abraços e atos sexuais. É um "quid pro quo" e tanto, comum observar  ménage ou suruba entre eles.
  
Pato-real
Estima-se que 19% dos machos de patos-reais apresentam comportamento homossexual – um dos maiores índices entre as aves. Bem na verdade, os machos dessa espécie só ficam com as fêmeas até a hora de elas porem seus ovos.
  
Bisão-americano
O comportamento homossexual do bisão-americano, que habita as planícies da América do Norte, é superior ao comportamento heterossexual da espécie. Nas épocas de acasalamento, os machos costumam copular várias vezes ao dia com outros machos.

Golfinhos 
O tursiops é um gênero de golfinhos que inclui as espécies golfinho-nariz-de-garrafa-indopacífico, golfinho-burrunan e golfinho-nariz-de-garrafa. Esses animais apresentam um grande comportamento homossexual, tanto que as fêmeas costumam colocar o seu bico nos órgãos genitais de outras fêmeas simulando uma penetração. Já os machos esfregam os pênis uns nos outros e, ocasionalmente, até praticam sexo anal.

Aranha
Agora uma história engraçadinha do mundo animal: cerca de 110 espécies de insetos e aracnídeos apresentam comportamento homossexual, mas, em muitos casos, é por acidente! As aranhas machos, principalmente, estão ali no rala e rola com outros machos até perceberem o erro e saírem de fininho em busca de uma fêmea. Para evitar ser devorada após cópula, aranha macho envolve fêmea em ménage'. Os machos da espécie aranha-lobo envolvem a fêmea em um "ménage" com mais um macho para aumentar a chance de não ser comido, que passa a 50%. Além disso, o "sexo a três" dura até quatro horas, a fim de deixar a fêmea exausta e sem condições físicas de seguir o rumo da natureza.


Lagartos 
O gênero cnemidophorus de lagartos possui quase exclusivamente espécimes femininos; isso porque sua reprodução é assexuada, não necessitando de machos para a fertilização. Mesmo assim, as fêmeas simulam entre si os rituais de um ato de acasalamento tradicional, que provavelmente dever servir para aumentar os hormônios da ovulação.


Abutre-fouveiro
Em 1998, dois abutres-fouveiros machos do Zoológico Bíblico de Jerusalém começaram a se envolver sexualmente. Eles chegaram a construir um ninho e chocar um ovo artificial. Seus tratadores resolveram dar um filhotinho para eles cuidarem, o que foi feito com muito afeto. Porém, um deles acabou virando “ex-gay” e se interessando por uma fêmea, deixando o antigo amor em depressão!

 Boto-cor-de-rosa
Um dos animais mais safadinhos da natureza, o boto-cor-de-rosa costuma se reunir em grupos de 5 amiguinhos para praticar uma orgia daquelas! Isso normalmente é organizado por jovens machos, mas fêmeas às vezes participam – mas só uma por grupo. Entre os fetiches, está a inclusão do bico no buraco de respiração do animal, no único exemplo conhecido de sexo nasal na natureza.

Carneiro
Cerca de 8% dos machos são exclusivamente homossexuais – porcentagem bem parecida com a do ser humano. Além disso, estima-se que entre 18% e 22% desses animais apresentam comportamento bissexual. E, é claro, não são nada monogâmicos.

 Macaco-japonês
Durante a temporada de acasalamento de inverno, a competição por uma fêmea de macaco-japonês é acirrada. Os machos não têm de disputar apenas com outros machos, mas também com outras fêmeas. Uma fêmea sobe na outra e estimula seus genitais esfregando-os na parceira. As duas se olham nos olhos durante a relação e tendem a permanecer semanas juntas, inclusive para dormir e se defender de possíveis rivais. Já os machos são menos afetuosos, se envolvendo com outros machos apenas pelo prazer sexual.

Hiena
A vagina das hienas muitas vezes se parece com um pênis, sendo derivada de um alto nível de testosterona durante a gestação. Isso gera fêmeas mais agressivas, que acabam se envolvendo com outras fêmeas tal como os machos da espécie.

Cisne-negro
Cerca de 25% dos casais de cisnes-negros são formados por machos. Às vezes eles roubam ninhos de casais heterossexuais, mas também é comum eles formarem trios com uma fêmea à espera de ela botar um ovo e depois a expulsam da relação.

Morsa
Os machos mais velhos normalmente são bissexuais, acasalando com as fêmeas apenas durante os períodos de reprodução e ficando com outros machos no resto do ano. Eles até dormem abraçados e juntinhos na água!
  
Elefante
Tanto o elefante-africano quanto o elefante-asiático apresentam comportamentos homossexuais: eles se beijam, trançam as trombas e montam uns nos outros. Além disso, as relações gays dos elefantes costuma ser mais duradouras que as relações heterossexuais.


Libélula
Insetos também podem ser gays. Na verdade, é extensa a lista dos que já tiveram relações homossexuais observadas. Entre as libélulas, investigações revelam que há provavelmente uma frequência bastante alta de encontros entre indivíduos do mesmo sexo, podendo chegar a 80% entre os machos.

Besouro-da-farinha
O besouro-da-farinha é mais resistente que as baratas quando o assunto é radiação. Ele costuma ser encontrado em trigos e outros grãos e tem uma prática curiosa: os machos mantêm relações entre si para eliminar o sêmen envelhecido e guardar apenas os melhores genes para as fêmeas. Besouros machos depositam esperma em outros e acabam por fertilizar mais fêmeas. Apesar de centenas de espécies terem sido observadas em relações sexuais com parceiros do mesmo sexo em ocasiões isoladas, poucas delas fazem disso uma parte rotineira de suas vidas.


  • Tirando o homem, poucas espécies apresentam homofobia – que é a aversão ao homossexualismo. Mas alguns machos heterossexuais de veados-de-rabo-branco hostilizam e atacam os homossexuais.
  • Apenas duas espécies reconhecidamente exibem preferência pelo mesmo sexo pelo resto da vida, mesmo quando há parceiros suficientes do outro sexo. Uma delas, claro, é a espécie humana. A outra é o carneiro domesticado. Em rebanhos ovinos, até 8% dos machos preferem outros machos mesmo quando há fêmeas férteis no grupo.



Refrências
http://www.redetiradentes.com.br/ronaldotiradentes/o-misterio-da-homossexualidade-em-animais/
http://www.megacurioso.com.br/animais/99489-20-animais-que-apresentam-comportamentos-homossexuais.htm
http://super.abril.com.br/ciencia/atracao-entre-iguais/
https://pt.wikipedia.org/wiki/Homossexualidade_no_reino_animal

13 comentários:

Roberta disse...

O mundo é gay.....

Clô disse...

Este chimpanzé da capa é muito "barbie"

Amanda disse...

O amor é lindo. independe do sexo. viva a diversidade...

Breno disse...

até os bichos vive na putaria descarada.. só jesus para salvar! cajado de moisés irá salvar o mundo.

adalberta disse...

Vou chamar o pastor pra benzer... o encosto da perdição esta neste blog. em nome de jesus...

Cláudio Gomes disse...

Quanto ignorância deste povo.. Aposto que a maioria é religioso.
A homofobia parte do próprio homossexual, como um processo de negação de sua sexualidade. Aqueles que abrigam em sua mente esta fobia ainda não definiram completamente sua identidade sexual, o que gera dúvidas, angústias e uma certa revolta, que são transferidas para os que professam essa preferência sexual. Quem tem sua identidade sexual definida não preocupa com a orientação sexual de terceiros.
A orientação sexual se refere a desejos e atrações sexuais de um indivíduo.
São inúmeros gay que viram padres, pastores, etc... por não aceitar sua condição sexual e infelizmente descontam sua raiva nas crianças e no fanatismo religioso.
VIVA A DIVERSIDADE...

Mona e Lisa disse...

Excelente post.. homossexualidade é uma condição, não uma opção. Acredite, ninguém vira gay. Ser gay não é uma escolha. A questão da identidade de gênero é uma necessidade maior, inerente a cada indivíduo.

Pr. Gerlado disse...

E armadilha de satanás....tah amarrado em nome do Senhor.

Amor disse...

Paz & Amor-----
Os bonobos resolvem as diferenças “na base do amor”. Quando um evento qualquer – tipo o surgimento de um objeto estranho – abala o equilíbrio do grupo, a turma logo se exalta e, antes de começar um quiproquó de tapas e mordidas, acaba canalizando a excitação para o acasalamento, inclusive homossexual.

Total Flex----
As morsas amadurecem sexualmente após os 4 anos de idade. Antes, têm relações homossexuais, como um “aprendizado”. Os machos normalmente são bissexuais: cruzam com fêmeas na época de reprodução e com machos o resto do ano, já que nem sempre as fêmeas estão disponíveis

Amor disse...

Bicha má

Se há mais machos do que fêmeas (ou vive- versa) em um grupo, os cisnes formam pares homossexuais. Às vezes, casais de machos cruzam com fêmeas para ter filhos e, depois da ninhada de ovos, afastam as mães.Eles também podem simplesmente expulsar casais hetero dos ninhos e adotar seus ovos

Dagoberto disse...

Sim, alguns bichos apresentam um comportamento homossexual, eventualmente. Vale ressaltar que comportamento é diferente de orientação sexual, como acontece com os humanos. A justificativa para as relações homossexuais(ou bissexuais) no mundo animal varia caso a caso porque, na natureza, nem todo comportamento sexual tem finalidade reprodutiva. Por isso, o tema é polêmico e não há um consenso a respeito na comunidade científica.

Amor disse...

É o que tem pra hoje..
Entre os golfinhos-nariz-de-garrafa, só os líderes do grupo fecundam as fêmeas. Os demais cruzam entre si ou formam panelinhas de três ou quatro membros para namorar as cobiçadas fêmeas. Como o sexo serve para fortalecer a parceria, golfinhos que já cruzaram entre si costumam ser mais unidos

Anônimo disse...

Respeitar a Deus, ao próximo e a si mesmo é sobrevivência, e de onde extrai essa idéia diz tb que homossexualismo é escolha Rom 1:29, se ignoramos a segunda é justo ignorarmos tb a primeira, aí dá ruim.