Pesquisar no blog

domingo, 7 de maio de 2017

LIVRO NEGRO - PÁSSARO VENENOSO


Descoberto recentemente por cientistas, mas conhecido há muito tempo pelos nativos de Papua Nova Guiné, o Pitohui dichrous, ou pitohui de capuz, tem presente em sua pele e penas um componente tóxico chamado de Homobatracotoxina. Este poderoso alcalóide neurotóxico tem a capacidade de paralisia, inclusive sobre os músculos do coração.





Pitouhui é um pássaro canoro da sub-família Pachycephalinae, encontrado nas florestas tropicais da Nova Guiné. Esse pássaro é incomum, porque é o único em todo o planeta que possui um tipo de toxina presente na pele e nas penas chamada de batracotoxina, os mesmos compostos presentes nas rãs Dendrobatidae. É um animal diurno que se alimenta de besouros da família Melirydae, onde consegue, de alguma forma, absorver o veneno e depositá-lo em seu próprio corpo. Os pássaros do gênero Pitohui, são aves canoras que habitam as florestas tropicais da Nova Guiné. Este gênero apresenta seis espécies descritas até o momento, sendo que três espécies são potencialmente venenosas. Também conhecido como “pássaros do lixo” estes animais guardam uma certa peculiaridade: são as únicas aves venenosas do planeta.
O envenenamento ocorre quando o veneno é colocado em contato com a pele (sobretudo em pequenas feridas), boca, olhos e mucosas nasais dos seus predadores. Os primeiros sintomas do envenenamento são a dormência e paralisia do membro afetado. Os nativos das ilhas onde a ave habita não a comem, pois sabem que o veneno provoca uma sensação de dormência e paralisação na boca. Sabe-se da toxicidade do animal conhecendo a coloração das espécies.


1 - Pitohui marrom é pouco venenoso 

2 - Pitohui de penacho, com suas penas vermelhas e pretas, é o mais venenoso deles.

Há 6 espécies neste gênero. Por esse fato, as pessoas que o conhecem evitam tocá-lo. Cientistas acreditam que a toxina presente nas aves tenha origem na alimentação, que é composta principalmente por besouros da família Melyridae. Esse besouros são uma fonte da toxina encontrada nas aves, e este mesmo fenômeno pode ser observado em sapos da família Dendrobatidae que são nativos das florestas tropicais da América Central e América do Sul. Nos sapos, assim como nos pássaros do gênero Pitohui, a alimentação é a fonte das toxinas encontradas nos amimais.
A questão sobre qual o benefício de uma alimentação baseada em besouros venenosos e porque as aves que se alimentam dele não morrem é obviamente; as aves atuais que se alimentam do besouro não morrem porque dispõem de adaptações resultantes de milhões de anos de evolução e de interação entre os ancestrais da linhagem dessas aves e sua relação com seu alimento, os besouros família Melirydae. Situações parecidas ocorrem com as borboletas que se alimentam de plantas alcaloides e a metabolização estes elementos faz com que seu gosto seja desprezível a predadores. Este é o caso da monarca (Danaus plexippus) e algumas borboletas que fazem parte do anel mimético do tigre. Alguns compostos pirrolizidinicos também conferem um efeito parecido.
Os cientistas avisam que nem todas as espécies de Pitohuis são venenosas - normalmente, as que tem cores mais escuras são mais perigosas. Mas, na dúvida, se encontrar um pássaro desses em uma aventura por Nova Guiné, mantenha distância. Afinal, bobeou, paralisou!



Referência
https://netnature.wordpress.com/2014/03/17/pitouhi-a-evolucao-do-passaro-venenoso/
http://www.hypeness.com.br/2013/12/conheca-o-unico-passaro-venenoso-do-planeta/
http://planetasustentavel.abril.com.br/planetinha/bichos/pitohui-primeiro-passaro-venenoso-descoberto-ciencia-763652.shtml
Postar um comentário