Pesquisar no blog

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

NASCENTES PROTEGIDAS E RECUPERADAS

Uma nascente, cabeceira, olho-d'água, insurgência, mina de água ou fonte é o local onde se inicia um curso de água (rio, ribeira, ribeiro, ribeirão, córrego), seja grande ou pequeno. Nascente desejável é aquela que fornece água de boa qualidade, abundante e contínua.





Governo do Paraná produziu cartilha sobre preservação de águas que merece reflexão. É bom lembrar que nascentes estão sob a influência de uma área de contribuição da microbacia. No processo de recuperação de nascentes devem ser desenvolvidas, no mínimo, as ações descritas a seguir.
Considerando que a nascente desejável é aquela que fornece água de boa qualidade, abundante e contínua, fica evidente que o solo de uma microbacia deve ter uma permeabilidade tal que possibilite infiltrar a maior quantidade possível de água da chuva, evitando que esta escoe sobre o solo.
  • A equação de equilíbrio hídrico corresponde a quantidade de chuvas que se armazena nos solos, descontado o escoamento superficial e a evapo-transpiração.
  • A infiltração possibilita o armazenamento de água nos lençóis freáticos e aquíferos subterrâneos. Com este armazenamento, a água dos aquíferos é liberada aos poucos para os cursos d´água, através das nascentes.
  • Por outro lado, a cobertura permanente do solo por plantas ou resíduos vegetais, além de conter o escoamento superficial favorece a infiltração da água no solo, minimiza as perdas de água por evaporação e auxilia a sua depuração, em face da capacidade de filtro que o solo possui.
  • A proteção das áreas ciliares às nascentes e rios através da reposição da floresta nas áreas de preservação permanente (APP) e em outras áreas das propriedades rurais, são fundamentais na proteção e produção de água.
  • A diminuição dos efeitos da enxurrada, por meio de sistema de terraceamento corretamente dimensionado, a readequação de estradas em bases conservacionistas e a contenção das águas pluviais do meio rural, são ferramentas fundamentais no controle da erosão dos solos por fatores hídricos.
  • Geralmente os solos de uma microbacia não possuem permeabilidade que possibilite infiltrar toda a água da chuva, por melhor que seja o manejo. Nas chuvas de elevada intensidade haverá a formação de enxurrada e, por consequência o carreamento de sedimentos e contaminantes para as nascentes e cursos d’água. É necessário conter a enxurrada para que sejam proporcionado o controle da contaminação das águas das nascentes e rios, contribuindo com a disponibilidade da água no aspecto qualidade e controle do soterramento de nascentes e assoreamento dos rios, contribuindo com a disponibilidade da água no aspecto quantidade.
  • E também o aumento do volume de água infiltrada no solo uma vez que será contido no canal dos terraços, contribuindo com a disponibilidade da água nos aspectos quantidade e qualidade proporcionada pela função depuração física que os solos possuem.
  • O uso racional de agrotóxicos, o manejo de pragas e invasoras, a destinação correta de embalagens, a implantação de abastecedouros comunitários, o gerenciamento adequado de efluentes domésticos e industriais e o destino correto dos resíduos sólidos e efluentes domésticos, são práticas que auxiliam na qualidade ambiental.Os compostos químicos presentes em muitos agrotóxicos não são eliminados pela fervura, cloração ou filtragem, por isso é importante evitar que os resíduos cheguem às nascentes e cursos d’água.
  • A implantação de sistema de terraceamento e a readequação de estradas em bases conservacionistas cumprem também a função de evitar que agrotóxicos utilizados nas microbacias, alcancem as nascentes e rios através de enxurradas que se formarem nas lavouras e estradas.

acesse a cartilha AQUI


Um comentário:

Gustavo disse...

Estamos protegendo e recuperando as nascentes no sitio. Depois de ler sobre o assunto, resolvemos por em pratica.