Pesquisar no blog

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

POR QUE ESTAMOS FICANDO SEM ÁGUA?

 
A crise no abastecimento de água não se deve apenas ao calor recorde e ao menor índice de chuvas já registrado nos últimos 84 anos. A Cobertura vegetal aumenta a vida útil dos reservatórios, além de prolongar tempo de abastecimento durante seca. 
 O desmatamento em bacias hidrográficas contribui para diminuir a quantidade e a qualidade das águas, tanto superficiais quanto subterrâneas. Não é apenas a perda de floresta nos mananciais que pode ameaçar a oferta de água. O desmatamento na Amazônia também impacta negativamente a quantidade de chuva que chega a todo território nacional. Se houver um processo muito intenso de perda de floresta amazônica, as regiões sul e sudeste poderá sofrer um processo de desertificação. O impacto é gradual e progressivo. Se continuar desmatando, o fluxo de água vai diminuir. Cada árvore que cai, é menos água indo para os mananciais. No Brasil existe a falsa cultura da abundância, a ideia de que podemos esgotar os reservatórios, porque depois vem o período de chuvas e enche de novo. Só que há uma diminuição do volume de águas ao longo das décadas em vários reservatórios do país. É muito difícil recuperar um manancial depois de exaurido. O solo fica pobre e seco, funcionando como uma esponja. Quando chover, o terreno vai chupar grande volume de água, até que ele recomponha os aquíferos subterrâneos. Em alguns casos é até impossível reverter a degradação.

O PAPEL DA FLORESTA
A floresta tem uma série de funções no ciclo hidrológico. Quando a chuva cai num terreno com cobertura vegetal, a água infiltra lentamente no solo, até atingir os lençóis freáticos. Aos poucos, ela aflora nas nascentes e enche os rios, até chegar às represas. A floresta quebra a energia da chuva, porque parte da água fica na cobertura das árvores e atinge o chão devagar. Além disso, o solo da mata é muito poroso, com matéria orgânica e raízes. Por isso, há mais espaço interno e maior capacidade de armazenamento. Por essa característica, o solo da floresta libera um fluxo de água mais constante, mesmo durante uma estiagem. O desmatamento no curso dos rios faz com que as nascentes desapareçam e os cursos d’água não consigam se recuperar.

UMIDADE
Outra importante função da floresta é reter água da atmosfera. Quanto mais floresta tiver em regiões montanhosas, maior a retenção de água. A floresta contribui para manter a umidade do ar, através da evapotranspiração (É um processo dinâmico da água que ocorre no sistema solo-planta-atmosfera,). Cerca de 30% da água na atmosfera vêm das florestas. Se o ar está seco, aumenta a evaporação em todo sistema hídrico, desde os rios até os menores reservatórios de água. A vegetação também participa no ciclo hidrológico, atuando como um filtro para manter a qualidade da água.  A floresta retém metal pesado em suas raízes e matéria em suspensão. Ela também filtra a atmosfera e diminui a quantidade de partículas que podem cair na água.

ENCHENTES E ASSOREAMENTO
Onde não há floresta, a infiltração da chuva no terreno é mais difícil. Num solo de pastagem, por exemplo, a quantidade de água escoada é até 20 vezes maior que em área de vegetação. Por esse motivo, em período de muita precipitação, áreas desmatadas estão mais sujeitas a enchentes. A água escoa rapidamente e em quantidade, enchendo os rios e represas, muitas vezes de forma desastrosa. Neste processo, a água carrega consigo muito material orgânico, erodindo o terreno e assoreando os reservatórios.


Referência:
Rede Brasileira de Informação Ambiental – REBIA / Planeta sustentável / Superabril
Postar um comentário