Pesquisar no blog

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

(PRESERVAÇÃO)2 + (EDUCAÇÃO) - GASTOS = ÁGUA



A diminuição da água no mundo é constante e, muitas vezes, silenciosa. Seus ruídos tendem a ser percebidos apenas quando é tarde para agir.





Você acorda de manhã, acende a luz, toma um banho quente e prepara o café. Após se alimentar, limpa a boca com um guardanapo e lava a louça. Vai ao banheiro, escova os dentes e está pronto para dirigir até a escola para mais um dia de trabalho. Se parar para pensar, vai ver que, para realizar todas essas atividades, foi preciso usar água. A energia vinda das quedas d’água (via hidrelétricas) é que faz lâmpadas acenderem, chuveiros aquecerem e geladeiras refrigerarem. E para produzir o guardanapo que você passou pela boca é necessária muita água. Sem esquecer que o combustível de seu carro também contém a substância.  Quanto maior é a renda de uma pessoa, mais ela tende a consumir e maior é seu gasto de água. Isso é o que se convencionou chamar de pegada hídrica, a medida da quantidade de água utilizada na fabricação de tudo o que a humanidade consome.
A água é o recurso natural mais abundante do planeta. De maneira quase onipresente, ela está no dia a dia de todos os seres vivos que habitam o planeta.  Além de matar a sede, mata também a fome (a água está nos alimentos). Encontramos água nas roupas, nos carros e em qualquer produto para consumo.
Ninguém, entretanto, tocou em um assunto que é o básico do básico, mas importantíssimo: proteger e conservar matas nativas e ciliares nas proximidades das bacias hidrográficas e reflorestar regiões onde elas já foram devastadas. Sim, porque a natureza é quem dita às regras: quando está preservada a vegetação nativa é garantia de água perene, mesmo em longas estiagens como as que estamos vivendo. O verde fornece a umidade que evapora e se transforma em chuva. De quebra afasta o perigo do assoreamento de mananciais protegendo nascentes, córregos, rios e lagos. A conservação de bacias hidrográficas economiza dinheiro para os serviços de utilidade pública de outras maneiras também. Por exemplo, investir nas estratégias de conservação poderia reduzir as despesas de capital do tempo dos serviços de utilidade pública, uma vez que as cidades poderiam continuar usando tecnologias mais baratas de tratamento da água ao invés de recorrer a tecnologias cada vez mais caras. A conservação de bacias hidrográficas também gera valor para as cidades além do tratamento da água, incluindo recreação, desenvolvimento econômico e biodiversidade.

O avanço econômico depende da disponibilidade de níveis elevados de água potável. Embora não se debata muito o tema, o mundo pode sofrer uma crise de crescimento provocada pela escassez de água nas próximas décadas. Sem ela em quantidade e qualidade adequadas, não é apenas o desenvolvimento econômico-social e a nossa rotina que ficam comprometidos, mas também a nossa própria sobrevivência. Só existimos porque há água na Terra. Por isso, a disponibilidade desse recurso é uma das principais questões socioambientais do mundo atual.

referências:
http://planetasustentavel.abril.com.br/
http://www.progresso.com.br/caderno-a/brasil-mundo/brasil-pode-enfrentar-falta-de-agua
http://www.mundoeducacao.com/geografia/

2 comentários:

Sueli disse...

Boa tarde prof. Omar,
Sou educadora e me preocupo com o desperdício da água potável, tão em falta, por isso coloquei em minha casa, (três pessoas), uma caixa d'água para reúso em limpeza, da água do banho.
Me orientaram a colocar cloro na caixa d'água, mas não resolveu e o mau cheiro, com a proliferação de bactérias, ainda não me permitiu utilizá-la.
Estou jogando a água fora, mas continuo procurando uma solução. Se for possível, por favor, me ajude a encontrar uma solução viável.
Obrigada
Sueli

Professor Omar Fürst disse...

Bom dia Suely. Utilize o link abaixo para esclarecimento do tratamento de águas cinzas
http://www.bemtefiz.com.br/sustentabilidade/como-tratar-as-aguas-cinzas/

Os tratamentos convencionais sem produtos químicos, não retiram totalmente o nitrogênio amoniacal da água, responsável pelo forte odor de urina e matéria em decomposição.
O melhor uso para as águas cinzas tratadas é na irrigação de jardim.